Amigos das Palavras

Por decisão do autor deste blogue os textos do próprio não seguem o acordo ortográfico de 1990.



quinta-feira, 29 de março de 2007

O gosto de correr! (continuação)

Desde 2002 que a corrida passou de novo a fazer parte do meu quotidiano.
A minha participação da mini da Meia-Maratona de Portugal, disputada na Ponte Vasco da Gama, em Setembro, funcionou para mim como um renascer para a corrida. Os treinos iniciados 3 semanas antes (na companhia da minha mulher Isabel), com vista a essa participação, tiveram continuação nas semanas e meses seguintes.
O meu regresso à participação em provas aconteceu no dia 22 de Fevereiro de 2003 na pista de cross do Estádio Nacional no entretanto extinto Cross Reebok, seguiu-se o G.P. do Alto do Moinho (ainda em Fevereiro), Rapidinha de Cascais, G.P. do Atlântico e Meia-Maratona de Lisboa (em Março), Corre Praia, G.P. Rui Silva e G.P. Cariocas (em Abril), Milha Urbana do Seixal (Maio), Corrida do Oriente e Corrida das Fogueiras (em Junho), Corrida da Festa do Avante, G.P. Atletismo Almada - Costa de Caparica e a Meia-Maratona de Portugal (em Setembro).
Meia-Maratona de Portugal que seria a minha última prova em 2003.

No início de Novembro a Isabel engravida, algo que desejávamos há já muito tempo.
Foi um tempo de muita felicidade e também de muita ansiedade mas, com o passar dos meses o receio de que algo pudesse correr menos bem foi lentamente e naturalmente desaparecendo.
Eu continuava a correr mas sem participar em provas.
Com a chegada do ano de 2004, para matar o vício, participei em Fevereiro no Cross Reebok, que seria a única prova que disputei nesse ano.

Cross Reebok - A minha única prova em 2004.

De Março a Julho continuei a correr…
Eram 4h42m do dia 25 de Julho de 2004 que ao lado da Isabel terminámos uma outra corrida, a mais dura de todas, uma corrida longa e extenuante, quer em termos físicos, quer em termos psíquicos.
Até ao final de 2004 não mais corri, cada minuto livre era pouco para "saborear" a Vitória mais desejada.

25 de Outubro de 2004 - A Vitória Filipa faz 3 meses.

O inicio do ano de 2005 marca um novo recomeçar, 3 treinos por semana como principal objectivo, nem sempre conseguido, consequência directa os poucos quilómetros corridos; durante este ano só participei na mini da Meia-Maratona de Lisboa e na Corrida do Tejo.

Corrida do Tejo 2005 - Antes da partida em Algés.

Em 2006 consigo que os três treinos semanais passem a ser um objectivo cumprido na maiorias das semanas, resultando dai um aumento dos quilómetros corridos; participei nalgumas provas, Atletismo Solidário (Abril), Corrida Contra a Fome (Maio), Corrida do Oriente (Junho), Corrida da Festa do Avante (Setembro), G.P. José Araújo e Corrida do Tejo (ambas em Outubro), Prova Aberta da Maratona de Lisboa e São Silvestre da Amadora (ambas em Dezembro).
Em 2007 continuo com os 3 treinos semanais mas um passa a ser um treino longo, isto é, igual ou superior em tempo a 1H30.
As provas em que já participei são: 20 Quilómetros de Cascais e G.P. do Atlântico (ambas em Fevereiro), Corrida das Lezírias e Meia-Maratona de Lisboa (ambas em Março).

Nestes anos volvidos entre 2002 e 2007 tive nalguns treinos (principalmente durante o ano de 2003), como agradável companhia, a Isabel, a minha afilhada Rute (uma das irmãs da Isabel) e o meu cunhado Vítor.

Os locais de treino que mais utilizei foram o Parque da Paz (Cova da Piedade, Almada), Quinta da Marialva (terrenos onde anualmente realiza-se a festa de Corroios) e a pista de atletismo Carla Sacramento (esta só durante o ano de 2003).

terça-feira, 27 de março de 2007

O gosto de correr!

Desde miúdo que sempre gostei de correr, na rua onde cresci, enquanto os outros companheiros das brincadeiras de rua muitas vezes jogavam à bola, eu tentava organizar corridas...mais tarde e com o atletismo à porta de casa, uma das muitas e boas consequências da Revolução de Abril cheguei a praticar algum atletismo mais à séria, nos "Ases das Avenidas", um então popular clube das Avenidas Novas de Lisboa, do qual recordo os senhores Sá Viana e Firmino Afonso e o treinador Júlio Fernandes entre outros.
Morando em Almada, na Margem Sul do Tejo, chego aos “Ases” por “angariação” do Sr. Firmino, que à época era proprietário de um estabelecimento comercial situado em Cacilhas.
Treinava com os outros miúdos que também moravam na margem Sul e, por vezes íamos ao Estádio Universitário de Lisboa, geralmente nos fins-de-semana em que não existiam provas.
Na primeira prova em que participei, um corta-mato nos terrenos anexos ao antigo Estádio de Alvalade, classifiquei-me em 16º lugar, uma semana mais tarde a primeira medalha, fruto de um 7º lugar…seguiram-se outras provas, em estrada, corta-mato e pista.

Depois dos “Ases” e em finais dos anos setenta passo a representar clubes da minha “Cidade” de Almada, clubes em que imperava muita carolice e boa vontade, típica dos clubes de bairro.
Primeiro no “CDA - Clube Desportivo de Almada”, clube então a festejar o seu 7º aniversário e em cujo programa do mesmo fazia parte uma prova de atletismo (como habitualmente acontecia), na qual colaborei ajudando na organização da mesma e participando posteriormente como atleta, classificando-me então em 3º lugar no meu escalão.
No “CDA” tive como mais frequentes companheiros de treinos (muitos deles realizados à noite e em estrada), o entusiasta e empenhado Mendes, impulsionador do atletismo do clube, o meu “primo” Sousa, o meu amigo de infância Vítor Resende e o Eduardo.
Após essa breve passagem pelo “Clube Desportivo de Almada”, passei a representar o “São Paulo de Almada”, onde encontrei pessoas como o treinador Madeira e os então companheiros de treinos e de algumas provas, a simpática família Pinto Claro, o Mariano, os irmãos Duque, o Castro e o Horta, entre outros.
Os nossos locais de treino eram no Seminário de Almada, nos terrenos onde presentemente se localiza parte do Parque da Paz e na pista de atletismo do Arsenal do Alfeite; eu por vezes treinava também no campo de futebol do Beira-Mar de Almada.
As provas disputadas eram principalmente em estrada e em pista.

No inicio dos anos oitenta, a trabalhar de dia e a estudar à noite, começou a escassear o tempo necessário para continuar a praticar o meu desporto preferido desde sempre...tentei durante algum tempo conciliar o treino, o trabalho e os estudos, treinando às seis da manhã, a que se seguia o dia de trabalho e os estudos nocturnos…mas tive que decidir e decidi…parar com os treinos.
Durante aproximadamente vinte anos sem nunca ter deixado totalmente de correr, as participações em provas contam-se pelos dedos de uma única mão e salvo erro a última terá sido uma Corrida da Liberdade organizada na noite de 24 de Abril de 1986, com partida no Bairro do Matadouro e com chegada no largo do tribunal em Almada. Fiz essa prova na companhia do meu “primo” Sousa.
(Continua)

segunda-feira, 19 de março de 2007

De Pai para Filho…de Pai para Filha!

O fim-de-semana que passou foi dedicado à Meia Maratona de Lisboa, no Sábado a Vitória participou com a avó Aida no “Passeio Avós e Netos”, no Domingo participei na Meia Maratona.
Mas hoje não vou falar de corridas, hoje é dia 19 de Março, dia de São José, comemorando-se em Portugal o dia do Pai!
Comemorei este dia durante muitos anos como filho, era o dia reservado a mais um miminho ao meu pai. Foi assim durante muitos anos…até ao ano 2000, o último ano que tive o privilégio de poder ter o meu pai comigo.
Nos anos seguintes, para mim não existia o motivo para comemorar este dia...até ao ano de 2005 em que o voltei a comemorar, agora como pai de um bebé, que quis o destino demorasse tanto tempo a chegar.
Este dia representa pois para mim também o recuperar do elo que foi quebrado, senão a tempo de o poder viver na sua plenitude, ser filho e ser pai, pelo menos, de poder ter a felicidade de também eu ser pai e poder tentar transmitir à minha filha, em cada um dos dias da sua vida, a herança que o meu pai me deixou, herança constituída por valores não materiais mas para mim bem mais importantes.
Pai, onde quer que estejas, digo-te:
Mesmo ausente estás presente. Obrigado por tudo!
Para a minha bebé, digo:
-Podes contar sempre comigo, especialmente nos momentos menos bons na vida, que também vão existir. Amo-te muito!
Para quem tem o privilégio e a felicidade de o poder comemorar, um muito bom dia do pai.

sexta-feira, 16 de março de 2007

Post 1º – Sejam bem-vindos!

Sejam bem-vindos ao blog "Palavras de corredor".
Passo-me a apresentar, nasci e vivi até à idade adulta em Almada, resido actualmente em Corroios e trabalho em Lisboa; sou feliz no casamento e por ser papá de uma linda bebé, mãe e filha são o meu porto de abrigo, porto de chegada e de partida…
Sou um homem de gostos simples, um do qual, gostar de correr.
Será sobre esse meu gosto pela corrida que incidirá este blog.
Por hoje fico-me por aqui mas voltarei brevemente.
Até lá façam o favor de correr!