Amigos das Palavras

Por decisão do autor deste blogue os textos do próprio não seguem o acordo ortográfico de 1990.



domingo, 17 de fevereiro de 2008

IX Grande Prémio Atlântico.

Hoje participei no 9º Grande Prémio Atlântico, evento organizado como habitualmente pelo Núcleo Sportinguista da Costa de Caparica, o qual contou com o apoio da Câmara Municipal de Almada e da Junta de Freguesia da Costa de Caparica. O apoio técnico esteve a cargo da Xistarca.
A prova teve os habituais 10 quilómetros ao longo de um percurso praticamente plano em alcatrão, empedrado e, este ano também em terra solta (parte do percurso em que existiam obras).
Também como habitualmente a prova teve o ponto de partida e chegada junto à sede do "núcleo" organizador do evento.
A prova superou o recorde de número participantes, o qual estava desde o ano de 2004 em 1027, fixando-o em 1099, o número de atletas classificados na meta este ano, dos quais 991 eram do sexo masculino e 108 eram do sexo feminino, respectivamente, 90,17% e 9,83% do número total.
Os mais rápidos foram, em masculinos, Luís Rações (Girassol) com o tempo de 32:58, e, em femininos, Beatriz Cunha (CA Patameiras) com o tempo de 37:30.
Prova sem prémios monetários mas, com troféus para os melhores classificados e com prémios de presença para todos (no final cada participante recebeu um saco com a tradicional t-shirt, uma medalha e a revista da edição deste ano da prova), é na minha opinião, a grande prova de atletismo de cariz popular disputada no concelho de Almada.
A prova teve cobertura fotográfica (ver aqui).

Numa manhã a prometer chuva (tal como há um ano) ainda tentei convencer a Isabel a ficar em casa mas, vencido que fui nessa tentativa, decidimos ir os dois e deixar a Vitória em casa da avó.
Chegámos a Santo António da Caparica já passava das 9h30 e até à hora do início da prova foi tempo de levantar o dorsal, fazer um curto aquecimento e posicionar-me na zona de partida.
Após o início da prova e ainda nos metros iniciais da mesma passei pela Isabel que me tirou uma foto, parti algo receoso devido ao frio que se sentia pois o meu aquecimento não foi grande coisa, completei o 1ºkm em 4m40s, na fase inicial da prova o vento também soprou algo forte (ao contrário do ano passado em que esteve completamente ausente durante a prova), sensivelmente a meio da prova passámos nas imediações da zona de partida, local onde estava o maior número de pessoas a assistir, zona em que vi de novo a Isabel.
Completei a 1ª légua em 22m30s e tentei manter o mesmo ritmo na 2ª légua, o que mais ou menos terei conseguido fazer pois terminei com o tempo de 44m39s, média final de 4:28 min/km.
Classifiquei-me no lugar 311 da geral e no meu escalão, M4549, ocupei o 38º lugar (escalão em que terminaram 134 atletas).
A Isabel chegou quase de seguida junto a mim (tinha passado por ela a correr quando me dirigia para a meta), estava gelada pelo que voltámos logo para o carro.
Como o que é prometido é devido, a chuva fez a sua aparição e, também como aconteceu há um ano, numa altura em que a grande parte dos atletas já tinha terminado ou estava prestes a terminar.
Ainda antes de sairmos da Costa passámos num café para beber uma bebida quente, o que fizemos num dos cafés existentes na Rua dos Pescadores, neste em particular podem-se saborear os deliciosos "claudinos", são de comer e chorar por mais...
Quando saímos da Costa de Caparica a chuva caía então já com alguma intensidade.

Concluo assim um período de 4 domingos consecutivos em que participei em 4 provas (GP Alto do Moinho, 20 km Cascais, GP Grândola e GP Atlântico), algo que muito provavelmente não voltará a repetir-se durante o resto do ano e que aconteceu agora devido às 2 provas "perto de casa", 2 boas provas em que já tinha participado e às quais era difícil resistir, ao grande desejo de repetir Cascais (e de sentir de novo o prazer de correr num percurso lindíssimo) e ao desejo não menos grande de pela 1ª vez ir a Grândola (e de ficar com muita vontade de voltar).
No próximo mês de março participarei no máximo em 2 provas, na Corrida das Lezírias (onde só não estarei devido a motivos de força maior) e numa prova de 10 km (nesta ainda não está certo que participarei).
Até lá continuação de bons treinos e boas provas.

sexta-feira, 15 de fevereiro de 2008

Aqui vou eu para a Costa...

No próximo domingo participarei numa prova perto de casa, o 9º Grande Prémio Atlântico, evento organizado como habitualmente pelo Núcleo Sportinguista da Costa de Caparica e com o apoio técnico da Xistarca.
A prova deste ano terá início às 10h e os habituais 10 quilómetros de distância.
O limite de 1000 inscrições estipulado pela organização há já uns dias que foi atingido, pelo que espera-se "maré cheia" de participantes nas ruas da Costa de Caparica, o que aliás tem acontecido nos últimos anos.
Será a minha 3ª participação neste Grande Prémio depois das minhas participações em 2003 e 2007.

quinta-feira, 14 de fevereiro de 2008

Escapadinha...na vila morena, terra da fraternidade.

Passámos o passado fim-de-semana (onde na manhã de domingo participei no 6º Grande Prémio de Grândola) na vila imortalizada nas palavras do poeta como a vila morena, terra da fraternidade, foi mais uma "escapadinha", as quais são sempre muito agradáveis.
Foram 2 dias muito relaxantes e retemperadores, no sábado chegámos a Grândola por volta da hora do almoço pelo que fomos logo almoçar, um almoço demorado que pressa era coisa que não tínhamos, almoço muito a nosso gosto.
Depois do almoço dirigimo-nos ao hotel onde ficámos alojados, após nos instalarmos no mesmo voltámos a sair e passámos grande parte da tarde no jardim 1º de Maio, situado junto ao Complexo Municipal José Afonso, em frente ao qual está o monumento a José Afonso da autoria de António Trindade, um dos 3 monumentos que foram inaugurados em Grândola no ano de 1999, ano em que se comemoraram os 25 anos do 25 de Abril de 1974.
A Vitória aproveitou bem o parque infantil existente no referido jardim, parque onde se encontravam muitas crianças a brincar, muitos pais sentados nos muros e bancos existentes no parque, aproveitavam também eles a amena tarde de sábado.
Situado relativamente perto desse jardim encontra-se outro dos 3 monumentos acima referidos, o "Monumento à Liberdade", da autoria de Jorge Vieira foi também a última das suas obras, fica situado junto ao Largo Catarina Eufémia.
O resto da tarde de sábado foi dedicado a um pequeno passeio a pé por algumas ruas da vila.
Após o jantar passámos o resto do dia (noite) no hotel.

Domingo foi dia de levantar cedo, eu fui o primeiro a descer para tomar o pequeno-almoço, a Vitória fez-me companhia e a Isabel juntou-se a nós um pouco depois.
A Vitória ficou depois com os tios enquanto tomavam também eles o pequeno-almoço, eu e a Isabel fomos andando a pé para o local da prova (local muito perto do hotel), a Isabel aproveitou e tirou algumas fotos pelo caminho. Da prova já falei no anterior post.
De volta ao hotel, após eu ter participado na prova, a Vitória ajudou os tios a arrumarem as nossas coisas no carro, após deixarmos o hotel foi hora de nos sentarmos à mesa e saborear uma vez mais a boa gastronomia alentejana.
Mais tarde, antes de iniciarmos a breve viagem de regresso, parámos junto ao "Memorial ao 25 de Abril", da autoria de Bartolomeu dos Santos localiza-se na entrada norte de Grândola e foi à semelhança dos 2 monumentos já acima referidos inaugurado em 1999.
Monumento em azulejo, tem entre outros elementos constituintes do mesmo, a pauta com o texto da canção de José Afonso, Grândola, Vila Morena, o cravo, símbolo da revolução e os nomes dos capitães de Abril.
Após tirarmos algumas fotos junto ao monumento iniciámos a viagem de regresso, decidimos voltar por Tróia, a Vitória (na que foi a sua 1ª viagem de barco) gostou da travessia entre Tróia e Setúbal, durante a qual tivemos a companhia de muitas gaivotas, que voaram sempre em redor da embarcação até muito perto da mesma atracar em Setúbal.
Foi um excelente final de tarde de um não menos excelente do seu todo fim-de-semana, de que todos gostámos bastante.

6º GP de Grândola - Circuito José Afonso.

Na manhã do passado domingo participei no 6º Grande Prémio de Grândola – Circuito José Afonso, evento organizado pela Junta de Freguesia de Grândola com o apoio técnico da Xistarca.
A partida da prova (com 10 quilómetros de distância) deu-se às 10h30 junto ao Complexo Desportivo Municipal José Afonso, local onde também se deu a chegada da mesma. A prova foi disputada em dois pisos distintos, estrada e terra batida (entre o 5º km e o 8º) num percurso quase plano na sua totalidade e muitíssimo bem "desenhado" de modo que após a partida os atletas passassem de novo por 2 vezes nessa mesma zona ou nas imediações na mesma (por volta do 1º km e do terceiro).
Ainda em relação ao percurso refira-se que o mesmo esteve impecavelmente vedado ao trânsito, esteve marcado km a km e teve 1 abastecimento sensivelmente a meio do mesmo.
O mais rápido no sector masculino foi o atleta José da Luz (já vencedor em 2007) em representação do GD Fabril com o tempo de 30m47s, já no sector feminino a mais rápida foi a atleta russa Irina Dmitrieva com o tempo de 35m54s.
Completaram a prova 647 atletas (menos 121 do que em 2006, ano em que foi atingido o máximo de 768 atletas classificados na meta), dos quais 595 eram do sexo masculino representado 91,96% do número total e 52 do sexo feminino representado 8,04% do número total.
Além dos prémios (monetários e trofeús) para os melhores classificados cada participante recebeu um saco com brindes de presença (destacando-se dos mesmos a t-shirt e o trofeú alusivos à prova).
A prova teve 6 escalões masculinos e 2 femininos, uma afixação de resultados (tempos e classificações) extremamente rápida, no final foram sorteados prémios e foram disponibilizados aos atletas os balneários do Complexo Desportivo. A prova teve também cobertura fotográfica (ver aqui).
Com início às 10h40 realizou-se a 4ª Corrida Miúdos e Graúdos, aberta à participação de "duos" constituídos por uma criança e por um adulto, evento que registou mais de 3 centenas de participantes e que tem vindo a crescer em participação de ano para ano.

A minha participação no 6º Grande Prémio de Grândola, no circuito com o nome do poeta, na que foi também a minha 1ª prova de 10 quilómetros no corrente ano, correu dentro do que eu esperava.
Esta era uma das provas que eu não queria passar sem fazer em 2008, motivo pelo qual foi também a primeira em que me inscrevi no corrente ano.
Estando em Grândola (onde passámos o fim-de-semana) já desde o dia de sábado permitiu-me, ao contrário do que geralmente tem acontecido, dispor do tempo necessário para com calma ter levantado o meu dorsal, ter feito o indispensável aquecimento e ter-me colocado com algum tempo de antecedência na linha de partida (e não à última da hora como tem acontecido).
Ao sinal sonoro que marcou o início da prova tentei logo entrar no ritmo que planeara fazer, completei o 1ºkm em 4m12s, andamento muito rápido para mim, logo a seguir necessariamente que acalmei e passei ao 3ºkm já num ritmo de 4:30 min/km, nessa passagem ao terceiro quilómetro, situado nas imediações da zona de partida, local onde estavam concentrados a maioria dos assistentes da prova, vi também muitos dos participantes da "Corrida dos Miúdos e Graúdos", muitos "duos" a correrem, outros em que o "graúdo" levava ao colo o "miúdo", muita cor, muita alegria, muito entusiasmo.
Nessa zona avistei 2 dos meus acompanhantes (a Isabel e o meu cunhado), a Vitória nessa altura já estava com a tia no parque do bonito jardim existente naquela zona.
Nos 2 quilómetros seguintes mantive o mesmo ritmo, o que confirmei à passagem da 1ª légua em 22m26s, ritmo no qual continuei nos quilómetros seguintes e do qual só voltei a sair ligeiramente no último dos 10 quilómetros da corrida, em que fiz um quilómetro um pouco mais rápido dos anteriores, para concluir a prova, após uma 2ª légua em 22m02s, com o tempo final de 44m28s, média de 4:27 min/km.
Classifiquei-me no lugar 273 da geral e no meu escalão, M4549, ocupei o 30º lugar (escalão em que terminaram 83 atletas).
Num dia que esteve muito bonito e onde se sentiu bastante um ambiente festivo à volta da corrida, quer na prova de 10 quilómetros, quer na corrida dos miúdos e graúdos, esta foi uma excelente prova, uma das melhores em que já participei.

sábado, 9 de fevereiro de 2008

Grândola, vila morena.

Grândola, vila morena
Terra da fraternidade
O povo é quem mais ordena
Dentro de ti, ó cidade

Dentro de ti, ó cidade
O povo é quem mais ordena
Terra da fraternidade
Grândola, vila morena

Em cada esquina um amigo
Em cada rosto igualdade
Grândola, vila morena
Terra da fraternidade

Terra da fraternidade
Grândola, vila morena
Em cada rosto igualdade
O povo é quem mais ordena

À sombra duma azinheira
Que já não sabia a idade
Jurei ter por companheira
Grândola a tua vontade

Grândola a tua vontade
Jurei ter por companheira
À sombra duma azinheira
Que já não sabia a idade
§
Letra da canção "Grândola, Vila Morena", canção composta por "Zeca" Afonso em homenagem à "Sociedade Musical Fraternidade Operária Grandolense", sociedade onde "Zeca" Afonso tinha actuado em 17 de Maio de 1964, canção incluída no álbum de 1971 "Cantigas de Maio" e, estreada por "Zeca" Afonso ao vivo na capital da Galiza, Santiago de Compostela, em 10 de Maio de 1972. A canção foi escolhida pelo MFA (Movimento da Forças Armadas) como a 2ª senha da Revolução de Abril de 74, a qual ao ser posta no ar no programa "Limite" da rádio renascença" às 00h20m do dia 25 de Abril de 1974, confirmava o sucesso das operações militares até então e a continuação das mesmas.
Grândola ontem hoje e sempre vila morena, terra da fraternidade... Grândola onde na manhã do próximo domingo terá lugar o 6º GP de Grândola-Circuito José Afonso. Participarei no mesmo pela 1ª vez na que também será a minha 1ª prova de 10 kms no corrente ano.

quarta-feira, 6 de fevereiro de 2008

5 dias, 2 treinos, 1 prova, as máscaras da Vitória...

Os 5 dias do período de Carnaval (sexta a terça) foram, para mim, dias muito agradáveis.
Na sexta-feira foi o dia do desfile de Carnaval dos meninos do infantário da Vitória, o qual coincidiu com a primeira saída deles em grupo à rua.
Tinha sido pedido aos pais que pudessem dispor da parte da manhã para serem acompanhantes na referida saída, o que eu tive muito gosto em fazer (foi o meu primeiro ½ de férias deste ano e foi muito bem empregue).
A Vitória vestiu-se de Emília, a engraçada boneca de pano, personagem do Sítio do Picapau Amarelo.
Os meninos da sala da Vitória foram os primeiros do infantário deles a chegarem ao ponto de concentração das várias escolas e jardins-de-infância participantes no desfile.
Desfile que foi aproveitado pela educadora deles para lhes dar a conhecer algumas ruas nas imediações do infantário.
Fomos depois para dentro do ginásio, onde com os palhaços a ajudarem à festa, a mesma continuou, todos se divertiram bastante e, muito importante, portaram-se mesmo muito bem.
De volta ao infantário, é claro que os meninos aproveitaram a presença dos pais para os ajudarem a comer (o que eles fazem sozinhos nos outros dias) e também para os deitarem.
Para mim, novato em tais lides (a Vitória só desde o passado mês de Setembro é que está no infantário), foi mais uma gratificante manhã, após a tarde igualmente gratificante da festa de Natal do passado mês de Dezembro. Venham mais.
Ao início da noite realizei um treino no terreno perto da minha casa ("perto de casa" que foi um dos nomes que equacionei dar a este blog quando o criei), treino que foi para esquecer, já nem me recordava da última vez que tinha corrido com tanta dificuldade, um treino de 45 minutos de corrida contínua lenta que costumo fazer com "uma perna às costas" como se costuma dizer, já em casa comentei com a Isabel que nem acreditava que dois dias depois ia correr 20 quilómetros.

Sábado foi dia de visitar a avó Balbina, a Vitória vestiu-se de Dora, máscara escolhida por ela.
Depois do almoço em casa da avó, a Vitória quis ir ao castelo (forte de Almada), junto ao qual existe um jardim (o jardim do castelo) e que tem um miradouro, para mim o melhor, sobre o rio Tejo e sobre Lisboa.
Existe também nesse jardim um pequeno parque, onde costumamos ir frequentemente com a Vitória, nesse parque (diferente do actual é claro) também muitas vezes, em crianças, eu e a Isabel lá brincámos.
Ao final da tarde, enquanto a Isabel ficou em casa, eu e a Vitória fomos aos carrosséis que uma vez mais estão montados no terreno onde eu costumo correr.
§
Domingo foi dia de prova, os "20 km de Cascais", da qual já falei no anterior post, a Vitória (com ajuda da mamã) fez-me uma surpresa e recebeu-me depois de eu voltar de Cascais, vestida de dama antiga.

Segunda-feira, dia de trabalho e de infantário, a Vitória foi vestida de Dora, foi um dia muito calminho, foi especialmente gostoso o encontro na baixa com a Isabel à hora de almoço.
§
Terça-feira, dia de Carnaval, a Vitória vestiu-se de Dora (mais uma vez) e enquanto ficou com a mamã em casa da tia João, eu aproveitei a manhã para mais um treino (o primeiro da semana), desta feita junto à baía do Seixal, 1H10 de puro prazer…com o corpo a pedir mais.
A Vitória quis depois ficar em casa da tia, eu e a Isabel aproveitámos e após passarmos por casa, fomos almoçar fora e passámos o resto da tarde a passear.
Excelente terça-feira de Carnaval a culminar um período de cinco dias muito bem passados.

XXV 20 km de Cascais.

Foto de José Gaspar ( AMMA )

Na manhã do passado domingo teve lugar uma vez mais a belíssima prova dos "20 km de Cascais", este ano em 25ª edição, prova organizada como habitualmente pelo Centro de Cultura e Desporto dos Trabalhadores do Município de Cascais e com o apoio técnico da Xistarca.
Em domingo gordo foi também bem gordo o número de participantes que estiveram em Cascais, o qual passou a constituir recorde de participantes na prova, 1243 classificados na meta, dos quais 1142 eram do sexo masculino representado 91,87% do número total e 101 do sexo feminino representado 8,13% do número total.
Como habitualmente houve também uma forte participação na "Rapidinha", prova não competitiva complementar da corrida principal.
Em masculinos, Lino Barruncho (Maratona Clube de Portugal) com o tempo de 1h03m56s, e em femininos, Chantal Xhervelle (CP Liberty) com o tempo de 1h20m55s, sagraram-se vencedores absolutos destes "XXV 20 km de Cascais".
Refira-se, entre outros aspectos francamente positivos, que a prova teve 12 escalões etários (8 masculinos e 4 femininos), que o trânsito esteve e bem condicionado, que ao longo do percurso existiram placas de marcação dos quilómetros e 3 abastecimentos (água), que no final os atletas receberam a original t-shirt (este ano com o nome de todos os que concluiram a prova em 2007) e também uma placa alusiva à prova (este ano com a letra S da palavra CASCAIS), e, que foram disponibilizados balneários aos atletas. Aspectos ainda que já verificados em anos anteriores devem ser valorizados, os quais talvez expliquem em parte o crescimento do número de participantes de ano para ano.
Outros aspectos de que eu gosto nesta prova é de a mesma ter o mesmo ponto como lugar de partida e chegada, com o "bónus" de ser junto à lindíssima baía, gosto também da passagem (sensivelmente ao km5) por esse mesmo local, e é claro gosto mesmo muito do excelente percurso aparentemente fácil (está longe de o ser) na ida e volta ao Guincho, com o mar ali sempre ao nosso lado.
Existiu uma vasta cobertura fotográfica da prova através da "AMMA - Atletismo Magazine Modalidades Amadoras", "Fotodesporto.com" e "Espiral Photo".

Numa manhã chuvosa decidi ir sozinho a Cascais, acabei por sair de casa por volta das 8h45 (após convencer com algum custo a Vitória a ficar em casa com a mamã), após uma passagem rápida da ponte 25 de Abril e quando já estava na A5, intensificou-se bastante a chuva que caia, a qual só deu tréguas na zona do Estoril.
Chegado a Cascais e após estacionar o carro foi tempo de ir levantar o dorsal, um breve (muito breve mesmo) aquecimento e...faltavam 2 minutos para a partida.
Parti bastante de trás e realizei uma prova com duas partes distintas, nos primeiros 10 quilómetros e após o habitual 1º quilómetro em ritmo bastante lento tentei entrar no meu ritmo...passei ao km5 num tempo a rondar os 25 minutos e completei os primeiros 10 quilómetros com 51 minutos.
Nos segundos 10 quilómetros tentei correr um pouco mais rápido.
Terminei com 1h37m19s (média de 4:52min/km), lugar 586 da geral, lugar 95 do meu escalão (Veterano3), escalão que teve 188 atletas classificados na meta.

Apesar de ser um tempo modesto ainda assim foi inferior em 4 minutos e 2 segundos ao meu tempo feito em 2007 (1h41m21s).
Acabou por quase não chover durante a prova embora tivesse caído uma forte chuvada poucos minutos depois de eu ter terminado.
Após concluir a prova voltei quase de seguida para o carro e regressei ao meu porto de abrigo onde fui recebido por uma linda dama antiga.

Ontem, terça-feira de Carnaval aproveitei a manhã para fazer um treino junto a outra linda baía (a do Seixal), 1h10 a rolar, os flamingos continuam por lá...

sábado, 2 de fevereiro de 2008

A Cascais, mais uma vez...

Domingo que vem participarei na única prova de distância superior a 15 quilómetros que farei até ao próximo mês de Maio, os 20 kms de Cascais, prova organizada como habitualmente pelo Centro de Cultura e Desporto do Pessoal do Município de Cascais e com o apoio técnico da Xistarca.
A prova com partida marcada para as 10 horas, tem como local de partida e chegada a praça 5 de Outubro, junto à linda baía da vila de Cascais e, os atletas realizarão uma grande parte do percurso junto ao mar, na ida e volta ao Guincho.
Até à passada segunda-feira já estavam inscritos 1363 atletas na prova.
Como tem acontecido nos últimos anos disputa-se também uma prova não competitiva, denominada "Rapidinha", este ano na sua 11ª edição e que à semelhança da corrida principal costuma ser também bastante participada, prova em que participei no ano de 2003.
A Rapidinha tem partida marcada para as 10h10, após a partida da prova principal.
Promete ser bem animada a manhã do próximo domingo em Cascais, terra de múltiplos encantos e que nada tem a ver com a que é invocada na frase que a ela se referia num passado já bem longíquo, "A Cascais, uma vez e nunca mais!", e para a qual existiam 2 interpretações distintas ("um local de dificil acesso" ou "um local só para os mais abastados").
Acerca destes 20 kms de Cascais e da referida frase apetece até dizer, "A Cascais, mais uma vez e muitas mais!" ou para aqueles para quem será a 1ª vez, "A Cascais, a 1ª vez de muitas mais!".
Até domingo…

As minhas participações em Cascais:
§2 de Fevereiro de 2003 - com a Isabel depois de ter corrido a "Rapidinha".

18 de Fevereiro de 2007 - prestes a concluir os meus primeiros "20 kms de Cascais".