Amigos das Palavras

Por decisão do autor deste blogue os textos do próprio não seguem o acordo ortográfico de 1990.



quarta-feira, 28 de abril de 2010

Quem faz um filho fá-lo por gosto.

Corria o ano de 1969 quando Ary dos Santos concorreu ao festival da canção com a "Desfolhada", a qual acabaria por ser a grande vencedora e a representante de Portugal na Eurovisão nesse ano levando a que Simone de Oliveira pudesse gritar aos 4 ventos (primeiro no país, depois na Eurovisão) palavras nunca até então permitidas pública e livremente pelo regime vigente no país, sendo motivo de muito "falatório" em especial o verso "quem faz um filho fá-lo por gosto". O tema "Desfolhada" deu assim uma forte machadada do regime fascista que oprimia o país, 4 anos depois a história repetiu-se com nova vitória e nova ida à Eurovisão, sendo então pela voz de Fernando Tordo que a Eurovisão ouviria a "Tourada", o país assistia a tudo pelos écrans da televisão e os mais esclarecidos politicamente, que à época eram mesmo muitos, deliciavam-se com os "tiros no pé" do regime fascista e adivinhavam cada vez mais o seu fim, que acabaria por acontecer em 25 de Abril de 1974.

Deliciem-se com as palavras dessa bela "Desfolhada", para os que conhecem a canção vão se calhar a darem por si a trautearem "Minha palavra dita à luz do sol nascente meu madrigal de madrugada amor amor amor amor amor presente em cada espiga desfolhada", ou quem sabe se calhar apenas a soletrarem "quem faz um filho fá-lo por gosto"…

Desfolhada


Corpo de linho
lábios de mosto
meu corpo lindo
meu fogo posto.
Eira de milho
luar de Agosto
quem faz um filho
fá-lo por gosto.
É milho-rei
milho vermelho
cravo de carne
bago de amor
filho de um rei
que sendo velho
volta a nascer
quando há calor.

Minha palavra dita à luz do sol nascente
meu madrigal de madrugada
amor amor amor amor amor presente
em cada espiga desfolhada.

Minha raiz de pinho verde
meu céu azul tocando a serra
oh minha água e minha sede
oh mar ao sul da minha terra.

É trigo loiro
é além tejo

o meu país

neste momento

o sol o queima

o vento o beija

seara louca em movimento.

Minha palavra dita à luz do sol nascente
meu madrigal de madrugada
amor amor amor amor amor presente
em cada espiga desfolhada.

Olhos de amêndoa
cisterna escura
onde se alpendra
a desventura.
Moira escondida
moira encantada
lenda perdida
lenda encontrada.
Oh minha terra
minha aventura
casca de noz
desamparada.
Oh minha terra
minha lonjura
por mim perdida
por mim achada.

José Carlos Ary dos Santos


Ouvir a "Desfolhada".

domingo, 25 de abril de 2010

Somos livres!

Fotos de hoje, dia 25 de Abril de 2010, Dia da Liberdade.

Ler mais aqui.

Viva Portugal!
25 de Abril Sempre!

Os vampiros (José Afonso ao vivo no coliseu, 1983).

domingo, 18 de abril de 2010

Até breve.

Hoje é domingo, como tantas vezes nos últimos três anos podia estar aqui a relatar uma participação numa qualquer prova, não será isso que farei pois hoje não participei em qualquer prova, não porque neste domingo não existissem provas na região de Lisboa, não porque não tivesse dorsal para uma qualquer prova, não porque não tivesse companhia para ir a pelo menos duas delas...
Como disse hoje é domingo e não participei em qualquer prova, corri simplesmente uma hora perto de casa...
Na manhã da próxima quinta-feira serei submetido a uma pequena intervenção cirúrgica, a qual me impedirá de correr durante uns dias, espero que não muitos...
Espero voltar a participar em provas no próximo mês de Maio, até lá continuação de boas corridas para todos.
Voltarei também às "palavras" em Maio.
Grande abraço,
António Almeida

domingo, 11 de abril de 2010

2º Raid Atlético Vale de Barris.

Em cima: vista parcial da serra.
Ao meio à esquerda: eu prestes a terminar.
Ao meio à direita: eu e o Vitor com as primas Vitória e Carolina.
Em baixo à esquerda: já depois do almoço.
Em baixo à direita: a família do corredor.
[clicar na imagem para ver melhor]

Numa organização das "Lebres do Sado" decorreu hoje de manhã o 2º Raid Atlético Vale de Barris, o qual teve a distância de 30 quilómetros e foi disputado em regime de auto-suficiência (os participantes foram portadores do seu próprio abastecimento sólido e líquido), sendo também por isso uma prova única, prova disputada num percurso muito bonito, especialmente em certas zonas do mesmo.
Depois de há um ano não me ter conseguido inscrever a tempo, este ano há algum tempo que tinha garantido a minha presença e hoje lá estive para desfrutar de mais uma bela aventura que são estas corridas fora da estrada, aventura que para mim se saldou num tempo final a rondar as 3h20'.
Desta vez desloquei-me apenas na companhia do meu cunhado Vitor Veloso, tendo-se juntado a nós mais tarde as manas Isabel e Ruth e as primas Vitória e Carolina.
Registo com agrado o reencontro com alguns companheiros da blogosfera (Joaquim Adelino, José Magro e Mário Lima) bem como com outros companheiros de corrida.
Registo igualmente com muito agrado o almoço que se seguiu à prova e que se saldou num belíssimo convívio entre os participantes.

As fotos da Isabel
aqui.

sábado, 3 de abril de 2010

23º Grande Prémio da Páscoa de Constância.

Mais uma vez em Sábado de Aleluia na lindíssima Vila-Poema disputou-se o Grande Prémio da Páscoa de Constância, este ano o 23º, prova em que pela primeira vez participei.
Há muito que queria ir a Constância, de todas as vezes em que por este ou aquele motivo não me foi possível estar presente, custou-me especialmente não ter estado no ano que passou, decidi então que só um motivo de força maior me impediria estar presente este ano.
Hoje também eu "corri por ti Margaret"...
Voltarei em 2011.

Dados da minha prova:
Tempo: 44'32''
Ritmo: 4'28''/km
Lugar Geral: 257 (553 atletas)
Lugar Escalão [M45]: 24 (58 atletas)

Aqui as fotos da Isabel.

Aqui as classificações.

quinta-feira, 1 de abril de 2010

As minhas provas em 2010 (1º trimestre).

Durante o 1º trimestre deste ano participei em 8 provas (só repeti a mítica distância da maratona, estreei-me em provas de trilhos e cortei 4 metas de mão dada com a Vitória), no total das 8 provas corri 206,5 quilómetros.
Em 4 das provas em que participei foi a primeira vez que marquei presença (Maratonas de Badajoz e de Sevilha, Trilhos do Almourol e Trilhos do Pastor).
Nas restantes 4 provas (Alto do Moinho, Atlântico, Lezírias e na "Meia" de Lisboa) repeti presenças de outros anos.
Quer nas provas em que estive pela 1ª vez, quer naquelas em que repeti presenças de outros anos, guardo de cada uma das 8 provas e por motivos diversos gratas recordações.
Passado pois o primeiro trimestre do ano, o tempo continua a ser (como sempre) de correr, também de novos desafios…
Continuação de boas corridas, uma Boa Páscoa e até sábado para aqueles que vão estar em Constância.