Amigos das Palavras

Por decisão do autor deste blogue os textos do próprio não seguem o acordo ortográfico de 1990.



quinta-feira, 28 de abril de 2011

A nossa "Pessach" 2011.

Há 3 anos a nossa Páscoa foi passada na região de Seia numa estadia então marcada com bastante antecedência mas com o sabor amargo de não nos ter permitido nesse ano de 2009 ter estado em sábado de Aleluia na vila-poema, desde então e enquanto a nossa presença significar algo a família estará sempre em Constância no sábado de Aleluia, assim foi em 2010, assim voltou a ser neste ano de 2011.
Este ano decidimos passar alguns dias na zona, por lá estivemos desde a última 5ª feira até à passada 2ª feira…

Na tarde de 5ª feira rumámos à zona de Castelo do Bode, foi lá a nosso local de alojamento, local bem pacato e bastante aprazível, o nome "Castelo do Bode" bem a propósito para o grande desafio que se avizinha, os 101 km de Ronda, prova que tem como mascote precisamente um Bode.
Nessa tarde de 5ª feira a caminho de Castelo do Bode vimos de passagem a bela vila-poema, naquela tarde beijada de fugida por raios de sol que teimavam em se misturarem com a chuva que caía.

Sexta-feira, logo pela manhã realizei um treino calminho, 20 quilómetros nas margens do Zêzere, por vezes um cheirinho aos trilhos do Almourol.
À tarde breve deslocação à barragem do Castelo do Bode e uma visitinha a Constância, a qual nos recebeu com chuva.

Manhã de sábado, correr pela Margaret…
Também durante parte do dia de sábado encontro marcado em Constância com a "blogosfera corredora" no IV Meeting Blogger, o V será por Terras do Sicó e a organização será do Fernando Fonseca, ilustre companheiro da "Associação Desportiva O Mundo da Corrida".
O resto de tarde foi passado na companhia da Isabel e da Vitória ainda na vila-poema, descobrir caminhos, relembrar outros, Constância começa a ser bem familiar.
Domingo de Páscoa, pretendia realizar um treino de 50 quilómetros, também pretendia do mesmo tirar algumas ilações para Ronda.
Comecei por volta das oito e meia da manhã, a qual aquela hora já estava bem quente, nos primeiros 10 quilómetros usei parte do percurso feito no meu treino de sexta-feira, uns estradões nas margens do Zêzere.
De seguida fui e voltei a Constância, cerca de 20 quilómetros nos quais incluídos os 10 quilómetros da prova de sábado (o G.P. da Páscoa de Constância).
Passei por casa quando o "garmin" já marcava 31 quilómetros, tempo para trocar algumas palavras com a Isabel, companheira sempre presente, sempre no apoio firme, a fazer-me acreditar que tudo é possível.
Nova ida e volta aos estradões nas margens do Zêzere, tempo durante o qual o "garmin" atingiu a distância mítica dos 42 quilómetros, pouco depois venci a passo o desnível de regresso ao topo, seguindo-se a fase final do treino, os oito quilómetros que faltavam para os 50, completei os 47 quilómetros com 5 horas de corrida, nos seguintes e últimos 3 quilómetros e já perto do nosso local de alojamento foi praticamente a rolar, prestes a terminar o meu treino longo de domingo de Páscoa deste ano de 2011, o que fiz perto da Isabel e da Vitória que por ali andavam olhei o "garmin" e não consegui deixar de sorrir, parei por fim o tempo de contar.
Para os 50 quilómetros feitos demorei 5h20', tempo total de corrida e de algumas subidas bem generosas feitas a andar.
Em cada 10 quilómetros demorei 1h10', 1h03'; 1h00; 1h03' e 1h04'.
Durante as 5h20' de treino bebi 1 litro de água e 3 litros de bebida isotónica, comi uma banana, uma maça, 4 figos, 4 bolos secos e um mini pacote de batas fritas.
Não senti fome nem sede mas a hidratação terá pecado por defeito.
Seguiu-se depois o almoço de Páscoa na companhia da Isabel, da Vitória, da sua tia Sara, primo Rodrigo e avó Aida, que por estes nos fizeram companhia, à tardinha tempo para uma sesta e parte da noite na companhia da família Mota que em dia de Páscoa, dia sempre tão recheado de solicitações familiares, ainda arranjaram tempo para nos presentearem com a sua a visita.
Segunda-feira, como tínhamos previsto e após sairmos do nosso local de alojamento rumámos a Constância, assistimos à chegada dos barcos para a tradicional bênção dos mesmos, tempo para almoçar e para descobrir ainda e sempre um pouco mais de Constância, mais tarde e antes de deixarmos a vila-poema o reencontro com uma cara amiga, uma bela maneira de deixar Constância.
Foi a "passagem" da família neste ano de 2011 por uma zona do país que nos começa a ser bem familiar, voltaremos com toda a certeza antes da próxima "Pessach".

IV.

Decorreu na vila-poema durante o último sábado o "IV Meeting Blogger" no qual estiveram presentes companheiros da blogosfera, familiares e amigos.
Este 4º encontro de amigos que têm um espaço na blogosfera e que gostam de correr foi organizado pelo Nuno Romão para o qual vai o meu apreço pelo empenho, dedicação e trabalho que teve na organização de mais um encontro da "blogosfera corredora" com um número recorde de blogues presentes (22):


Além do Virtual (Ana Paula Pinto)
As Minhas corridas (José Lopes)
Borboletas e Malmequeres (Mariana Mota)
Cidadão de Corrida (Fernando Andrade)
Correr, Uma Virtude Viciosa (Vitor Veloso)
Corrida do Tejo (José Magro)
Donafava e companhia (Mafalda Paixão)
EntoncamentoRunners (José Brito)
Espraiar (Susana Adelino)
Hoje Corro Eu (Mário Lima)
Horticasa (Eugénia do Vale)
JoãoLima.net (João Lima)
Leões de Kantaoui (Paulo Martins)
Maratonazinha (Nuno Romão)
Maria Sem Frio Nem Casa (Ana Pereira)
Palavras de Corredor (António Almeida)
Pára Que Não Pára (Joaquim Adelino)
Que politica em Campolide? (Orlando Duarte)
Runbook de um gajo que mudou de vida (Paulo Pires)
See You In Boston (Pedro Ferreira)
TomarAcorrida (Luis Mota)
Último km (Jorge Branco)


O V Meeting Blogger será em Condeixa-a-Nova e terá como organizador o Fernando Fonseca, ilustre companheiro do "Mundo da Corrida".

quarta-feira, 27 de abril de 2011

Escritores de Palmo e Meio.

No âmbito da comemoração do Dia Mundial do Livro e do Direito do Autor (23/04) e em articulação com a Biblioteca foi-nos apresentado pelo externato que a Vitória frequenta o Projecto "Escritores de Palmo e Meio".
A ideia era a de elaborar uma história de que a Vitória gostasse mas modificando-a, optámos pelo Capuchinho Vermelho e por lhe dar um final algo diferente.
Mais uma excelente proposta que a família acolheu com entusiasmo.

A história do Capuchinho Vermelho recontada pela Vitória e com um final diferente.

Era uma vez uma menina a quem todos chamavam Capuchinho Vermelho pois a menina gostava muito de andar vestida com uma capa com capuz de cor vermelha que a sua avozinha lhe tinha feito.
Certo dia a sua mãe pediu-lhe para ir levar uma cesta com comida à avó que vivia do outro lado do bosque tendo-lhe recomendado para ter cuidado.
Capuchinho Vermelho lá foi, pelo caminho entreteve-se a apanhar flores, distraiu-se e nem reparou que um lobo a estava a seguir.
De repente o lobo apareceu à sua frente e disse-lhe:
-Olá menina, como te chamas e onde vais com essa cesta?
-Chamo-me Capuchinho Vermelho e vou à casa da minha avó que vive do outro lado do bosque levar esta cesta com comida.
O lobo perguntou então à menina se ela queria fazer uma corrida até casa da avó, tendo Capuchinho Vermelho dito que sim, o lobo sugeriu então para cada um ir por um caminho diferente.
O lobo como achava que era muito esperto escolheu o caminho mais curto para chegar antes do Capuchinho Vermelho já com a ideia de ir fazer mal à avozinha.
Lá chegado bateu à porta imitando a voz do Capuchinho Vermelho, a avó desconfiando que era o lobo foi chamar um lenhador que estava nas traseiras da sua casa a cortar lenha para a lareira e combinaram pregar uma partida ao lobo.
O lenhador vestiu uma camisa de noite e uma touca que a avó usava para dormir, pôs os óculos da avó, fecharam as cortinas para o quarto ficar com menos luz e mais facilmente enganar o lobo, a avó escondeu-se depois dentro de um armário tendo-se o lenhador deitado na cama da avó.
Depois o lenhador imitando a voz da avozinha disse ao lobo que podia entrar pois a porta estava aberta.
O lobo entrou e dirigiu-se ao lenhador pensando que era a avozinha que estava deitada na cama logo com intenção de a comer mas assim que o tentou o lenhador puxou do machado que usava para cortar a lenha e que tinha escondido junto de si debaixo dos lençóis da cama.
O lobo percebendo que tinha sido enganado e que corria perigo fugiu cheio de medo porta fora.
Capuchinho Vermelho que estava a chegar junto da porta da casa da sua avozinha vendo o lobo naquela correria só teve tempo para lhe dizer que podia parar de correr que tinham chegado ao seu destino.
Logo depois apareceu o lenhador ainda disfarçado e de seguida a avozinha.
Contaram depois ao Capuchinho Vermelho o que se tinha passado e os três desataram a rir da partida que a avozinha e o lenhador tinham pregado ao lobo.
Vitória, Vitória, acabou-se a história.

terça-feira, 26 de abril de 2011

A saca de orelhas.

Sentenças delirantes dum poeta para si próprio em tempo de cabeças pensantes

1
Não te ataques com os atacadores dos outros.
Deixa a cada sapato a sua marcha e a sua direcção.
O mesmo deves fazer com os açaimos.
E com os botões.

2
Não te candidates, nem te demitas. Assiste.
Mas não penses que vais rir impunemente a sessão inteira.
Em todo o caso fica o mais perto possível da coxia.

3
Tira as rodas ao peixe congelado,
mas sempre na tua mão.

Depois, faz um berreiro.
Quando tiveres bastante gente à tua volta,
descongela a posta e oferece um bocado a cada um.

4
Não te arrimes tanto à ideia de que haverá sempre
um caixote com serradura à tua espera.
Pode haver. Se houver, melhor...

Esta deve ser a tua filosofia.

5
Tudo tem os seus trâmites, meu filho!
Não faças brincos de cerejas
sem te darem, primeiro, as orelhas.

Era bom que esta fosse, de facto, a tua filosofia.

6
Perguntas-me o que deves fazer com a pedra que
te puseram em cima da cabeça?
Não penses no que fazer com. Cuida no que fazer da.

É provável que te sintas logo muito melhor.

Sai, então, de baixo da pedra.

7
Onde houver obras públicas não deponhas a tua obra.
Poderias atrapalhar os trabalhos.
Os de pedra sobre pedra, entenda-se.

Mas dá sempre um "Bom dia!" ao pessoal do estaleiro.
Uma palavra é, às vezes, a melhor argamassa.

8
Deves praticar os jogos de palavras, mas sempre
com a modéstia do cientista que enxertou em si mesmo
a perna da rã, e que enquanto não coaxa, coxeia.
Oxalá o consigas!

(...)

11
Resume todas estas sentenças delirantes numa única
sentença:
Um escritor deve poder mostrar sempre a língua portuguesa

Alexandre O´Neill

Nota) porque nos últimos dias Constância fez parte do nosso caminho lembrar palavras de um dos poetas ligados à vila-poema.

sábado, 23 de abril de 2011

Hoje corri por ti Margaret.

Pelo 2º ano consecutivo voltei a correr os 10 quilómetros do Grande Prémio de Constância, por ti Margaret.

sexta-feira, 15 de abril de 2011

O caminho passa por Constância.

O ano de 2008 corria para o seu final quando o Miguel Paiva deu o mote para o que viria a ser o primeiro encontro da blogosfera corredora, o qual teve lugar no dia 14 de dezembro de 2008 na cidade de Tomar e a família Mota como anfitriões do mesmo, o encontro basicamente teve duas partes distintas (um treino e um almoço-convívio), um dia inesquecível, um dia radioso apesar da muita chuva que nesse dia então caiu.


No dia 18 de outubro de 2009 realizou-se o II Meeting Blogger, o qual teve lugar nas cidades do Porto e Vila Nova de Gaia e que foi organizado pelos companheiros Miguel Paiva e João Meixedo.
Com algumas diferenças em relação ao primeiro (o treino foi substituído por uma prova a que se seguiu igualmente um almoço convívio entre os participantes) foi mais um dia memorável, no final do qual e tendo o rio Douro como testemunha todos os participantes expressavam muita vontade em repetir.


No dia 16 de Maio de 2010 realizou-se o III Meeting Blogger na ainda menina cidade da Costa da Caparica, Joaquim Adelino e Fernando Andrade foram os responsáveis pela organização do mesmo, o qual manteve uma estrutura idêntica ao do 2º (uma parte da corrida que consistiu na participação numa prova a que se seguiu o habitual almoço convívio entre os participantes).
Desta feita foi o mar da Caparica que testemunhou mais uma excelente jornada de confraternização e o passar do testemunho ao Romão para o próximo encontro a ter lugar em Constância.


E assim no próximo dia 23 na vila-poema terá lugar o IV Meeting Blogger, o qual pelo que já nos foi dado saber manterá a estrutura idêntica à dos anteriores encontros (a parte da corrida consistirá na participação numa prova a que se seguirá o habitual almoço convívio entre os participantes, respectivas famílias e amigos que queiram estar presentes).
A poucos dias desse IV Meeting envio um abraço de amizade a todos os que contribuíram para o caminho já feito, os que organizaram os encontros (Mota, Meixedo, Paiva, Adelino, Andrade e Romão) bem como a todos os participantes nos mesmos.
Constância espera por nós, até lá.


domingo, 10 de abril de 2011

Raid Atlético Vale de Barris 2011.

TANDUR a 100% no Vale de Barris (foto de Joaquim Adelino)

Numa organização das Lebres do Sado decorreu hoje de manhã o Raid Atlético Vale de Barris 2011, uma aventura desportiva em regime de auto-suficiência, tendo sido os participantes portadores do seu próprio abastecimento, sólido e liquido. O percurso de 30 quilómetros foi percorrido em estradões de terra batida e trilhos, num cenário de excepcional beleza natural que o Vale de Barris e as Serras do Louro e de São Luis proporcionam, percurso que pouco teve a ver com o do ano passado, todo ele bem mais durinho e com um último terço de puro trail, no meu caso passei aos 20 km com um tempo abaixo das 2 horas mas fruto desse último terço do percurso terminei com 3h42.

Neste Raid Atlético dos Vale dos Barris 2011 os TANDUR estiveram a 100% (Fidalgo, Veloso e eu) sendo que o Fidalgo fez a sua estreia em trail.


As excelentes fotos do Joaquim Adelino aqui.

quinta-feira, 7 de abril de 2011

Trilhos do Almourol 2011 (Palavras).


Numa organização do CLAC - Clube de Lazer, Aventura e Competição do Entroncamento teve lugar no passado domingo o evento "Trilhos do Almourol 2011", o qual apresentou 2 níveis de participação em trail (trilhos e mini-trilhos) e um em marcha (caminhada), sendo que os percursos das provas percorreram zonas dos concelhos de Abrantes, Tomar, Constância, Vila Nova da Barquinha e Entroncamento.

A prova de "trilhos" na distância de 39 quilómetros teve partida na povoação de Aldeia do Mato; a de "mini-trilhos" na distância de 22 quilómetros (segundo o meu garmin) teve partida na vila poema (Constância) e a "caminhada" teve partida em Almourol, sendo que as 3 provas terminaram no Parque no Bonito na cidade ferroviária (Entroncamento).

Se no ano de estreia (2010) a organização esteve num nível muito bom neste ano de 2011 conseguiu ainda assim superar-se, melhor é quase impossível. Pessoalmente e em relação às muitas provas em que tenho participado considero que estes "Trilhos do Almourol" no global estão um patamar acima das melhores.

Os meus "mini-trilhos do Almourol":

Há um ano fiz a prova maior, neste ano de 2011 decidi participar na prova mais curta, os "mini-trilhos".

Antes da partida tempo para rever companheiros da blogosfera, Ana Pinto e Nuno Romão, também eles a participarem na prova "mini", rever outros companheiros das corridas, a Susan Mota que se estreou em trilhos, para algum tempo de conversa com o Moutinho e o Asdrúbal Freitas, o qual viria a ser 1º classificado da prova. Depois a surpresa de os metros inicias da prova serem feitos em pelotão compacto e a baixo ritmo, 2 elementos da organização (um dos quais o "vassouras") comandaram o pelotão nessa fase inicial (tipo o G.P. da Arrábida das Lebres do Sado), metros inicias nos quais ia comentando com o Romão que este era mais um fenómeno do Entroncamento, a prova a decorrer e eu ali ombro a ombro com ele, claro que depois quando houve ordem para correr (na zona onde é dada a partida do G.P. da Páscoa de Constância) o Romão que logo tomou o comando da prova em menos de nada se destacou de todos os demais (o Asdrúbal só o passaria por volta do 18º km).

Neste meu regresso aos trilhos do Almourol regressei também às quedas (há um ano por volta do 27º km, este ano logo nos primeiros quilómetros), deve ser mais um fenómeno do Entroncamento, ter um historial de duas quedas em provas e as duas serem nestes trilhos do Almourol.

Gostei bastante do percurso, o qual coincidiu com fase final da prova maior, percurso com algumas zonas de rara beleza, gostei especialmente na passagem na zona do castelo de Almourol com ele ali tão perto, da proximidade do rio, daquela zona com aquela vegetação alta com flores brancas, da outra zona com vegetação rasteira com flores roxas, das muitas zonas coloridas de amrelo, gostei também muito de ter conseguido fazer praticamente todo o percurso a correr e por vezes em bom ritmo, percurso que realizei praticamente quase sem ter ninguém por perto, em especial a partir da zona do 2º abastecimento até aos quilómetros que antecederam a zona do 3º abastecimento e em que fui passando por muitos dos caminheiros.

Conclui os 22 quilómetros em 2h13'48'', soube a pouco mas soube bem, extraordinariamente bem.

Não posso passar sem referir a excelente companhia que a família teve durante o bem servido e delicioso almoço, Ana Pinto, António Pereira, o casal Mota e Ana Groznik e, já na fase final também do Joaquim Adelino, o "pára" que não "pára" mesmo ainda que por estes dias se veja impossibilitado de fazer aquilo que ele tanto gosta.

Igualmente não posso passar sem salientar a simpatia dos "Britos" que apesar de terem estado extremamente ocupados ainda assim fizeram questão de nos dedicar algum do seu tempo.

Por fim dizer que os "TANDUR" estiveram representados além de mim pelo Veloso que participou na prova de trilhos.

2 Fotos de Barros Simões (zona de Tancos):
Fotos aqui.

segunda-feira, 4 de abril de 2011