Amigos das Palavras

Por decisão do autor deste blogue os textos do próprio não seguem o acordo ortográfico de 1990.



quarta-feira, 30 de novembro de 2011

Este ministro é um mentiroso.

Este ministro é um mentiroso
que agonia quando ele discursa
e se fosse só isso: bale sem jeito
às meias horas seguidas – e não pára!

bem-aventurados os duros de ouvido
a quem o céu abrirá as portas
desliguem p.f. o microfone
ou então tirem o país da ficha

FERNANDO ASSIS PACHECO
Respiração Assistida
Ed. Assírio e Alvim

Nota) Ao longo dos anos em que tenho mantido activo este blogue fui aqui trazendo palavras de alguns escritores Portugueses e Brasileiros, quase sempre no dia de aniversário do nascimento desses escritores, porque não há regra sem excepção trago hoje palavras de alguém que morreu neste dia 30 de novembro faz hoje 15 anos, alguém que morreu como decerto gostariam de morrer alguns escritores, numa livraria, a Buchholz em Lisboa.

terça-feira, 29 de novembro de 2011

A Lebre.

Para o favorito bater o seu máximo
corre a lebre umas quantas voltas
puxando pelo andamento até que
à hora conveniente sai da pista
sem um gesto um adeus o que se diz nada
e da bancada vêm gritos
porém são para o outro que esse sim
pode ficar na história
efémera que seja dos recordes

também eu tenho pernas
mas nunca tão possantes
e coração
mas o normal da espécie
encosto pois para deixar
passar o favorito: lá vai ele
veloz como uma seta

FERNANDO ASSIS PACHECO

Mais palavras de Fernando Assis Pacheco aqui.

quarta-feira, 23 de novembro de 2011

Reencontro.

Passados mais de 30 dias separados sentiu o homem que era chegado o dia de se reencontrarem, passara por isso o homem o dia todo com ela no pensamento, quase ansioso…
Muitos dos encontros que tinham tido nos últimos anos tinham sido à noite, encontros carregados de desejo tal como este para o qual o homem já depois do dia de trabalho se vestiu sempre com ela no pensamento.
Sentiu uma felicidade imensa assim que se encontraram, quase de imediato sentiu o prazer que ela sempre lhe deu, lentamente foi sentindo que o sangue lhe começou a correr mais rápido e apesar da noite fria, muito fria mesmo, não demorou muito a sentir o corpo quente, o prazer em crescendo.
Durante cerca de uma hora como sempre nos seus encontros envolveram-se totalmente, a noite fria e o local onde se tinham encontrado quase deserto revelou-se um cenário perfeito para aquele encontro tão desejado.
Voltou depois o homem a casa mas já com novo encontro marcado.

sexta-feira, 18 de novembro de 2011

São Silvestre de Lisboa.

Site da prova aqui.

Tal como anunciado a São Silvestre de Lisboa disputa-se este ano pela primeira vez em dia de São Silvestre, já a hora de partida foi recentemente alterada passando para as 16h (ao contrário do inicialmente anunciado que eram as 18h tal como nas 3 edições anteriores).
Esta é uma prova em que sou totalista tal como a Vitória na São Silvestre da Pequenada, esta na sua 3ª edição.
Pese o facto de estar sem correr há mais de um mês estamos inscrito e temos uma certeza, cá por casa vai continuar a haver totalistas.
Dizer também que com esta alteração da hora de partida da São Silvestre de Lisboa é possível correr na zona da grande Lisboa 3 corridas de São Silvestre em menos de 24 horas, Olivais (dia 30, 21 horas), Lisboa (dia 31, 16h) e Amadora (dia 31, 18h).
Como alguém daqui da blogosfera corredora costuma dizer, "haja pernas".

quinta-feira, 10 de novembro de 2011

25.

O número de dias sem correr, quis acreditar que seriam menos mas há situações em que acreditar não basta e a realidade é que não corro há 25 dias, um número que supera largamente cada um dos períodos de dias em que estive sem correr (o maior em cada um dos anos) desde o dia 7 de março de 2006 até ao passado dia 16 de outubro:
Ano de 2006 – 8 dias (22 a 29 de julho)
Ano de 2007 – 8 dias (26 a 31 de outubro)
Ano de 2008 – 6 dias (8 a 13 de dezembro)
Ano de 2009 – 3 dias (vários períodos)
Ano de 2010 – 8 dias (23 a 30 de abril)
Ano de 2011 – 8 dias (18 a 25 de julho)
Estes dias que fui passando sem correr há muito que puseram fim ao objectivo traçado por mim em 2006 de correr 3 vezes por semana pelo maior número de meses possível, algo que fui conseguindo na esmagadora maioria das semanas ao longo dos 67 meses que passaram desde então (6 de março de 2006 a 16 de outubro de 2011).
Por quantos mais dias ainda estarei sem correr é ainda imprevisível, sendo porém certo que ao recomeçar traçarei novos objectivos ainda que tão pouco ambiciosos como os de correr 3 vezes por semana.
Para já e no corrente ano estou inscrito na maratona de Lisboa (estava-o antes de parar) mas já me darei por feliz se conseguir acabar o ano a correr.
Em tempo de paragem antevendo o regresso resta-me olhar para 2012, ano em que já me inscrevi há dias numa primeira prova, ano em que tinha também como objectivo voltar a correr distâncias com 3 dígitos.
Aos que deixaram palavras no meu post anterior o meu muito obrigado pelas mesmas.
Até um dia destes.
Abraço a todos,
António Almeida