Amigos das Palavras

Por decisão do autor deste blogue os textos do próprio não seguem o acordo ortográfico de 1990.



segunda-feira, 27 de maio de 2013

2º Ultra-Trail Serra de São Mamede (Palavras, parte II).

Do 6ºPAC ao 7ºPAC (Carreiras, 70 km)
Tempo de prova: 13h20' (11h45' em 2012, +1h35' que em 2012)
Troço em que apesar de começar com uma longa descida seguimos a passo já que a calçada romana que íamos pisando não convidava mesmo a nada a correr, íamos tendo a companhia de uns tímidos chuviscos, já após a descida seguiu-se a passagem por uma zona de lazer existente junto ao rio, seguimos depois por um trilho junto a esse mesmo rio, muito bonita essa parte do troço, a fase imediatamente a seguir revelou-se algo monótona, já na longa subida (mais uma) que se seguiu alcançámos a Célia que seguia com um outro companheiro, já no topo na subida e numa altura em que ia à conversa com a Célia, o Alex adiantou-se, entretido que ia na conversa não o vi então entrar para o mato pelo que quando recomecei a correr ainda que fosse esticando a passada ajudado pelo terreno a descer nessa fase ia estranhando o facto de não conseguir alcançar o Alex, a dada altura no meu lado esquerdo deparei com um jovem casal junto a um carro, tratavam-se de dois elementos da organização que me indicaram então que estava a poucas centenas de metros da zona de abastecimento mas logo ali foi altura de beber uma mini, nesse tempo chegou o Alex que me disse então que tinha feito a tal incursão ao mato, também ele bebeu uma mini após o que seguimos não sem antes agradecer aos dois jovens, quase de imediato chegámos ao PAC, no tempo em que por lá estivemos acabaria também por chegar a Célia e companhia, também o Manel Fonseca.
Do 7ºPAC ao 8ºPAC (Castelo de Vide, 77 km)
Tempo de prova: 14h39' (13h01' em 2012, +1h38' que em 2012)
Logo após retomarmos a prova liguei à Isabel para lhe dizer que já íamos a caminho de Castelo de Vide onde previa que ela já estaria, a Isabel disse-me então que pelo que ia ouvindo dos participantes que por lá já tinham passado que íamos apanhar muita calçada romana, consultei a minha "cábula" e comentei com o Alex que de qualquer modo íamos apanhar uma grande parte a subir pelo que com ou sem calçada romana íamos ter que caminhar muito mais que correr…
Na fase final deste troço e já com uma vista soberba sobre Castelo de Vide deu para correr nos largos estradões existentes, já com menos de 1 quilómetro para o PAC começou a trovejar e fomos presentados com uma chuva de granizo, bolinhas de gelo que magoavam e de que maneira, alguns companheiros iam-se refugiando debaixo das árvores, quase todos a vestirem impermeáveis, eu e o Alex concordámos que o melhor visto estarmos tão perto do PAC era seguir e o mais rápido possível, nessa fase apanhámos a “lebre” Manel Fonseca, pouco depois a minha Isabel que debaixo da chuva que continuava a cair ia tirando fotos, cheguei junto dela, disse-lhe para ter juízo e para se ir abrigar, rapidamente segui para a escada onde estavam as cordas para descer até ao PAC, descida feita ainda e sempre debaixo de chuva, por fim o PAC8 conquistado, já por lá estava o Hélder Tomé, companheiro com quem há um ano cheguei junto a este mesmo PAC.

 
 
Sem que a chuva mostrasse vontade de se ausentar e passado algum tempo em que mais uma vez comemos, bebemos e nos abastecemos de água, lá seguimos numa altura que o Manel e o Hélder ainda por lá ficaram.

Do 8ºPAC ao 9ºPAC (Convento Provença, 89 km)
Tempo de prova: 16h42' (15h48' em 2012, +54' que em 2012)
Tinha dito ao Alex que neste troço íamos ter bom terreno para correr caso o percurso mantivesse o traçado de 2012, de facto assim aconteceu o que nos permitiu conseguir bons períodos de corrida a ritmos razoáveis.
Na fase intermédia deste troço passámos pelo ponto suplementar de abastecimento em que apenas havia água. Já na fase final deste troço e na altura em que íamos começar a fazer mais uma subida caiu mais uma forte chuvada, inicialmente de pedras como a que tínhamos tido em Castelo de Vide, depois apenas uma chuva propriamente dita mas bem grossa. Por fim e já sem chuva seguiu-se a fase final deste troço, praticamente a descer até ao PAC, onde reencontrei o Alex que na fase da subida me tinha ganho algum avanço, o qual se manteve depois até aquele ponto. Mais um excelente abastecimento com direito a pizza o que nos foi fazendo ficar, depois e numa altura que muitos dos que tinham chegado depois de nós já tinham partido lá resolvemos seguir numa altura em que tinha recomeçado a chover embora com menor intensidade.

Do 9ºPAC ao 10ºPAC (Penha, 95 km)
Hora de chegada: 17h52' (não existia em 2012)
Neste troço a fase inicial foi exactamente igual ao da 1ª edição, troço fácil e bonito, a dada altura demos com a indicação pintada no chão de que era a última subida, escaldado que estava de 2012 resolvi ligar para a Isabel, procurei pelo Ricardo pois calculava que já tivesse acabado, falei com ele que me confirmou que era mesmo a última subida que íamos ter que fazer, logo a seguir uma parte do percurso totalmente diferente do de 2012 haveria de nos levar sempre a descer até ao último dos PAC, o décimo, o único que não existia em 2012, por lá reencontrei o “lobo” Rui Monteiro, companheiro de Mérida 2012 e 2013, tempo para bebermos uma mini, para vestir a t-shirt para a foto final, a minha t-shirt dos "CyberRunners", constatar que o tempo com que iríamos terminar provavelmente ia ser muito idêntico ao meu tempo de 2012.

Do 10ºPAC à linha de chegada (Estádio do Assentos - Portalegre, 100 km)
Tempo de prova: 18h38' (18h26' em 2012, +12' que em 2012)
Troço totalmente novo em relação à primeira edição e muito fácil apesar das centenas de degraus que se tinham que descer logo de inicio, após vencer essa descida o que fizemos sem problema de maior o Alex impôs um forte ritmo de corrida, fui-o seguindo mas aos poucos ele foi-me ganhando avanço, a dada altura passei a caminhar e numa altura em que ele se virou para trás disse-lhe para seguir mas ultrapassado que foi o último obstáculo com que me deparei (transpor um muro relativamente alto) tinha o Alex à minha espera para juntos seguirmos, quase de imediato a entrada no estádio….
A minha Isabel, a Paula Fonseca que ia tirando fotos, o Manel que tinha terminado pouco antes, Ricardo, Ana,…
Segui lado a lado com o Alex, demos quase uma volta inteira à pista, o suave do tartan, o pórtico de chegada, fiz o V de Vitória com os dedos de cada mão, olhei sorridente a Isabel…


Linha de chegada cortada, beijos, abraços, um final de tarde radioso, faltou apenas a minha outra princesa…
Tempo para duas fotos para mais tarde recordar, com a minha Isabel e com o meu companheiro deste UTSM, Alex…
A terminar um grande obrigado amigo Alex pela companhia, um grande obrigado amigo Ricardo (e Ana) pelo apoio em especial na hora de chegada, um grande obrigado  casal Paula e Carlos Fonseca pela companhia na viagem, um grande obrigado Paula pelo apoio e pelas fotos, um grande obrigado “lebres” casal Mota e Manel Fonseca pela companhia durante alguns quilómetros, por fim um grande obrigado Isabel por embarcares nestas loucuras, isto sem ti não era mesma coisa…

sexta-feira, 24 de maio de 2013

2º Ultra-Trail Serra de São Mamede (Palavras, parte I)










 

Da partida (Estádio dos Assentos, Portalegre) ao 1º PAC (Viveiro, km 11)
Após a partida dada em plena pista do estádio por volta das zero horas de sábado, dia 17 de maio deste ano de 2013 segui pelo corredor formado pelas muitas pessoas que assistiram à partida e logo depois saí do estádio, segui calmamente, quase de imediato a entrada na noite escura e nos primeiros trilhos em que comecei a ser ultrapassado por alguns participantes, já na zona do rio passei a engrossar uma enorme fila de participantes que iam progredindo lentamente, zona do rio vencida e tempo de esticar um pouco, fiquei então sem companhia por perto e assim continuei até chegar ao 1º PAC não que sem antes a noite muito escura e o nevoeiro me tenham criado dificuldades com que não contava.
No tempo que estive no 1ºPAC aproveitei para limpar os óculos e beber coca-cola, também abastecer-me de água, nesse mesmo tempo chegaram as "lebres" "casal Mota" e Manel Fonseca com quem decidi então continuar na hora de recomeçar.
Do 1ºPAC ao 2ºPAC (Alegrete, km 17)
Tempo de prova: 2h24' (2h04' em 2012, +20' que em 2012)
Troço do percurso sempre na companhia das "lebres", troço bem fácil com algumas partes do mesmo muito bonitas pelo que deu para ver, troço em que não senti muito o escuro da noite, já em Alegrete tal como em 2012 o PAC estava instalado no coreto que lá existe e tal com em 2012 convidava muito a ficar...
Na altura de retomar decidi continuar na companha das "lebres", altura em que vi chegar o Alex, com quem viria mais tarde a fazer muitos e muitos quilómetros.
Do 2ºPAC ao 3ºPAC (Antenas, km 30)
Tempo de prova: 4h54' (4h23' em 2012, +31' que em 2012)
Comecei este troço do percurso na companha dos meus anteriores companheiros mas na fase da subida fui-me aos poucos distanciando e acabei por fazer grande parte da mesma sem ninguém por perto.
Na noite cada vez mais fria era por vezes atingido por bátegas de água lançadas pelas árvores sacudidas pelo vento que também ele se ia fazendo sentir presente, já na fase final da subida deparei-me de novo com dificuldades inesperadas provocadas pela noite muito escura que me ia criando grandes dificuldades em progredir, as quais diminuíram um pouco já perto do topo onde estava instalado o 3º PAC e onde cheguei pouco depois.
Nas "antenas", o ponto mais alto deste ultra-trail, o frio era de rachar, algumas desistências já ali verificadas, bebi 2 chávenas de chá quente, comi um queque e segui quase de imediato tentando evitar que o corpo arrefece-se muito…
Do 3ºPAC ao 4ºPAC (Apartadura, km 40)
Tempo de prova: 6h52' (5h42' em 2012, +1h10' que me 2012)
Troço do percurso inicial a descer, passei então a correr por perto do Alex, a dada altura deparámos com uns elementos da organização junto a uma fogueira, aproveitei para aquecer as mãos, tempo em que fui ultrapassado pelas "lebres", segui e pouco depois encostei-me a elas, pensava então que o Alex já estaria mais à frente o que se viria a revelar não corresponder à realidade já que a dada altura sou alcançado por ele, nos quilómetros seguintes haveria de continuar por perto e a espaços, quer das "lebres", quer do Alex.
Neste troço, analisando agora, terei quebrado bastante, o que se terá devido muito à noite que me começou ao contrário do que é hábito quando corro durante a noite a incomodar-me, recordo-me que a dada altura passei mesmo a ansiar quase desesperadamente pelo nascer do dia, o qual foi chegando de mansinho e com isso provocando em mim um efeito de um novo fôlego tendo nessa fase já com a luz adiantando-me ligeiramente aos meus companheiros mais frequentes dos últimos quilómetros e tendo então chegado sem companhia à zana do PAC se bem que quase de imediato tivessem também chegado esses mesmos companheiros.
Do 4ºPAC ao 5ºPAC (Peixe de Espada, km 50)
Tempo de prova: 8h22' (7h03' em 2012, +1h19' que me 2012)
Troço feito em grande parte do mesmo na companhia do Alex, troço bem fácil apesar de grande parte em subida e no qual gastámos 1h30' (em 2012 tinha gasto 1h19').
No PAC5 e com metade da prova feita foi tempo de "bifana" apenas tendo faltado a "mini", falta essa largamente compensada pela enorme simpatia dos voluntários lá presentes. 
Do 5ºPAC ao 6ºPAC (Marvão, km 60)
Tempo de prova: 10h55' (9h34' em 2012, +1h21' que em 2012)
Pouco depois de retomarmos a prova avistámos Marvão, imagem impossível de esquecer, bem lá no alto os contornos do castelo desenhados sobre as núvens…
Na fase inicial deste troço seguimos por perto da Célia Azenha que ia junto de um outro participante, também na fase inicial aproveitámos a mesma ser em descida para correr um pouco.
Já na fase intermédia neste troço tivemos que passar um rio que este ano ao contrário de 2012 tinha mais água mas ainda assim sem criar dificuldades de maior.
Pouco depois apanhámos a "lebre" Paulo Fernandes que como habitualmente ia na "boa", por essa altura tivemos que saltar 2 ou 3 muros.
Já em plena calçada romana na subida para Marvão o Alex ganhou-me algum avanço, segui então por perto do Paulo mas aos poucos fui-me adiantando ligeiramente.
Subida feita, sabia que teria que descer para então de novo subir no "ataque" final , desta vez sabia bem o que me esperava e o transpor da "porta da traição"  e respectiva entrada nas muralhas de Marvão, este ano ao contrário de 2012, foi um momento saboreado com muito prazer, logo à chegada fui "controlado" pelo amigo João Bucho (atleta do ACP e com quem fiz amizade em Lisboa onde o João reside), o sorriso da Isabel, as palavras de incentivo da Paula…
Segui para o PAC, a Isabel acompanhou-me pelo que o fiz a passo, tempo para uma ou duas fotos, palavras trocadas, saber dos amigos…
Decidi alimentar-me primeiro e só depois trocar de roupa, o PAC este ano apresentava-se muito bem organizado, zona de mudança de roupa no 1º piso, no piso inferior tal com há um ano a zona de abastecimento, bem composta com a indispensável sopa ainda por cima deliciosa e muita simpatia e arte de bem receber por parte dos voluntários lá presentes.
Após a mudança de roupa um último beijo de despedida à Isabel altura de retomar a prova mais uma vez na companhia do Alex.
[continua]

segunda-feira, 20 de maio de 2013

2º Ultra-Trail da Serra de São Mamede.



Pelo 2º ano consecutivo estive na linha de partida do Ultra-Trail da Serra de São Mamede, tal como há um ano cerca de 18 horas e meia depois na linha de chegada (18h26' em 2012, 18h38' este ano), tal como há um ano tive sempre comigo a Isabel (nas hora de partida e de chegada, em Marvão, em Castelo de Vide debaixo de uma chuva de pedras, sempre via telemóvel...), estes 100 também são dela.
Uma palavra para o meu companheiro de muitos quilómetros e de muitas horas, Alex, parabéns amigo e muito obrigado pelo companheirismo.
Para um final de tarde ainda mais radioso apenas faltou a minha outra princesa.
Parabéns a todos os que partiram, só esses poderão cortar a linha de chegada que este ano foram em número de 230.

Dados da minha prova:
Dorsal: 216
Distância: 100 km
Tempo: 18h38'13''
Classificação geral: 171 (em 230)
Classificação escalão (M50): 16 (em 24)

Fotos da Isabel aqui.

quarta-feira, 15 de maio de 2013

UTSM 2013.

Em fevereiro passado escrevi aqui , "Estas semanas com Sevilha no horizonte serviram também de base para as semanas que se seguirão em que pretendo correr de novo distâncias com 3 dígitos".
Fica agora um pequeno resumo das semanas "corridas" desde então…
Objectivo: 2º Ultra-trail São Mamede (18 de maio de 2013).
Início do ciclo: 25 de fevereiro de 2013.
Número de semanas: 12 (11+1)
- Os treinos
Realizei os habituais 3 treinos semanais à excepção das semanas 3, 6 e 11 em que me fiquei pelos 2 treinos.
Nº total de treinos (11 semanas): 30.
Nº de treinos longos (11 semanas): 11, um em cada semana (4h48' ; 2h30' ; 2h46' ; 3h40' ; 2h00' ; 3h50' ; 16h03' ; 4h35' ; 4h15' ; 2h00' ; 4h35' e 1h45').
Os treinos longos nas semanas 3, 4, 6, 8, 9 e 11 foram realizados encaixando o número de quilómetros da competição na fase final ou substituindo mesmo a totalidade dos quilómetros dos treinos longos dessas semanas (Maratona de Badajoz, Meia de Lisboa, Millas Romanas de Mérida, Raide Vale dos Barris, Meia de Almada e Meia de Setúbal). 
A partir da 6ª semana inclusive fiz cerca de 1 hora de bicicleta estática por semana.
- Os quilómetros corridos
Nº de quilómetros por semana:
70 ; 57 ; 57,2 ; 52,1 ; 52 ; 100 ; 65 ; 55 ; 49,3 ; 68 e 33,6.
Nº de quilómetros acumulados nas 11 semanas: 659,2.
Número de quilómetros por semana (média) = 59,9.
Número de quilómetros por treino (média) = 22,0
- As provas treinos
Participei em 8 provas sendo que em 6 delas aproveitei para realizar parte ou totalidade dos meus treinos longos previstos para esses dias. Foram elas:
Maratona de Badajoz (17 de março - 42,2 km - 3h40'03'')
Meia-Maratona de Lisboa (24 de março - 21,1 km - 1h39'38'')
LXVII Millas Romanas de Mérida (5 e 6 de abril - 100 km - 16h03')
Raide Atlético Vale dos Barris (21 de abril - 30 km - 4h15')
Meia-Maratona de Almada (28 de abril - 21,1 km - 1h41'43'')
Meia-Maratona de Setúbal (12 de maio - 21,1 km - 1h42'49'')

Termino com palavras de um poeta muito ligado à cidade de Portalegre, palavras do seu "Cântico Negro":
"Ide! Tendes estradas,
Tendes jardins, tendes canteiros,
Tendes pátria, tendes tetos,
E tendes regras, e tratados, e filósofos, e sábios...
Eu tenho a minha Loucura !
Levanto-a, como um facho, a arder na noite escura,
E sinto espuma, e sangue, e cânticos nos lábios...
Deus e o Diabo é que guiam, mais ninguém!
Todos tiveram pai, todos tiveram mãe;
Mas eu, que nunca principio nem acabo,
Nasci do amor que há entre Deus e o Diabo."
Trecho de “Cântico Negro” de José Régio

terça-feira, 14 de maio de 2013

Cartaz UTSM 2013.


Este é o cartaz do UTSM2013, elaborado com uma das 3 fotos com que a Isabel concorreu ao concurso de fotografia no âmbito no 1º Ultra-Trail de São Mamede realizado em 2012, entendeu agora a organização usar a foto no cartaz de 2013 e na minha modesta opinião fizeram muito bem, é sem dúvida uma belissíma foto...

As 3 fotos com que a Isabel concorreu, 3 grandes fotos, bravo para a minha Isabel:


segunda-feira, 13 de maio de 2013

24ª Meia-Maratona Internacional de Setúbal.


Junto ao monumento a Luísa Tody na avenida com o mesmo nome.

Na manhã do último domingo disputou-se a 24ª Meia-Maratona Internacional de Setúbal, a organização esteve a cargo do CCD da Câmara Municipal de Setúbal e contou com o apoio técnico da Xistarca, tendo-se disputado em paralelo uma prova não competitiva denominada Mini-Maratona das Famílias.
Tinha participado em 2008 e 2009 e voltei este ano, tal como das outras 2 vezes tive a companhia da Isabel que também ela tornou a participar na prova “pequena”.
Mais uma belíssima prova à porta de casa no fechar de mais um ciclo, esta semana treino só…se for mental…

Dados da minha prova:
Dorsal: 512
Distância: 21,1 km
Tempo: 1h42'49''
Classificação geral: 348 (em 766)
Classificação escalão (M5054): 27 (em 74)

quarta-feira, 1 de maio de 2013


Já estão abertas as inscrições para a 2ª edição de uma prova que foi em 2012 uma das provas de que mais gostei e me surpreendeu pela positiva, claro que este ano é para repetir, já estou inscrito.
Quanto ao slogan "Correr no Tejo...na outra margem" nem imaginam o quanto é verdadeiro, quem lá esteve em 2012 sabe-o bem.