Amigos das Palavras

Por decisão do autor deste blogue os textos do próprio não seguem o acordo ortográfico de 1990.



quarta-feira, 17 de setembro de 2014

A especial.

Teve lugar na tarde do último sábado a 38ª edição da 2ª "meia-maratona" mais antiga do país logo a seguir à "mãe".
Uma prova durinha q.b., sem dúvida alguma a mais dura das "meias" que por cá se disputam e das mais duras das provas de estrada em Portugal.
Prova organizada pelo "mestre", director da prova, o rosto mais visível de uma vasta equipa de voluntários que ao longo dos anos têm feito desta meia-maratona uma prova especial, muito especial mesmo, quem lá vai sabe bem o que quero dizer…
Ouvi falar desta prova muito antes de retomar a prática da corrida em 2002, à época era uma prova olhada de soslaio tal a dureza da mesma e apelidada de "meia das rampas".
Corria o ano de 2007 quando depois de ter corrido duas "meias" em 2003 (meia de Lisboa na Ponte 25 de Abril e meia de Portugal na Ponte Vasco da Gama) e uma outra já em 2007 (de novo a meia de Lisboa), me resolvi a poucos dias da prova inscrever-me na tal meia que era dita só para alguns.
Na tarde da prova e minutos antes da partida senti isso mesmo tal o reduzido número de atletas presentes à partida…
Terminei derreado mas vivi uma das melhores tardes de corrida até hoje, nos anos seguintes voltei sempre, não falhei um único ano, é mesmo a única prova que repeti ano após ano desde que pela primeira vez fiz a minha estreia numa determinada prova.
Nestes anos passados desde então assistiu-se a um crescimento muito significativo do número de atletas presentes e pese o facto de na tarde do último sábado esse número de participantes ter descido mesmo assim foram mais de seis centenas os que cortaram a linha de chegada.
Na minha 8ª vez no percurso "diurno" terminei com o meu 2º melhor registo na prova (o melhor que consegui foi 1h44'10'' em 2011), passei aos 10km com 50'06'' no lugar 264, aos 15 km com 1h15' no lugar 249 e terminei com 1h44'24'' no lugar 212.
O menos bom foi não ter tido pela primeira vez nesta prova a minha menina de ouro a cortar a meta comigo.
Até ao final do ano há-de esta prova viver ainda o seu lado "nocturno", o qual passa por um treino no percurso integral da prova que tem vindo a acontecer desde 2009 se a memória neste particular não me atraiçoa, treino esse que tem sido ano após ano bem abençoado por São Pedro e que tem vindo a crescer em número de participantes, tanto que no último ano por exemplo decerto que teve mais participantes que aqueles que correram a versão "diurna" em muitas das edições da prova.
Termino com um grande obrigado a todos que fizeram desta a prova especial que é, para o "mestre" aquele abraço.

Dados da minha prova:
Dorsal: 334
Distância: 21,1 km
Tempo: 1h44'24''
Classificação Geral: 212 (em 625)
Classificação Escalão (M50): 23 (em 59)

As minhas participações:
2007: 1h49'16''
2008: 1h49'07''
2009: 1h52'50''
2010: 1h46'58''
2011: 1h44'14''
2012: 1h49'21''
2013: 1h47'02''
2014: 1h44'24''
2010, 2012 e 2013 – Treinos nocturnos no percurso integral da prova.