Amigos das Palavras

Por decisão do autor deste blogue os textos do próprio não seguem o acordo ortográfico de 1990.



sábado, 19 de janeiro de 2008

O sal da língua.

Escuta, escuta: tenho ainda
uma coisa a dizer.
Não é importante, eu sei, não vai
salvar o mundo, não mudará
a vida de ninguém - mas quem
é hoje capaz de salvar o mundo
ou apenas mudar o sentido
da vida de alguém?
Escuta-me, não te demoro.
É coisa pouca, como a chuvinha
que vem vindo devagar.
São três, quatro palavras, pouco
mais. Palavras que te quero confiar,
para que não se extinga o seu lume,
o seu lume breve.
Palavras que muito amei,
que talvez ame ainda.
Elas são a casa, o sal da língua.

Eugénio de Andrade

2 comentários:

Jorge disse...

-------\\\\|/-------
------(@@)-------
-ooO--(_)--Ooo—
Bom dia meu grande amigo corredor Antonio, obrigado pela msg e realmente foi um final de semana fantástico a minha filha correndo no sábado e eu no domingo e realmente foi desgastante mais assim mesmo eu gostei principalmente pq nunca tinha visto 600 crianças reunidas em prol do atletismo e inclusive tambem tinha crianças especias e caldeirantes correndo tambem.
Essa crônica O sal da língua é muito boa hein, parabéns e aí como vão os treinos e as corridas, quando vai correr.
Desejo a vc uma 4ª feira abençoada amigo.

www.jmaratona.blogspot.com

Um abraço,

JORGE

António Almeida disse...

Amigo Jorge

Concordo inteiramente consigo, muito bom mesmo este "O sal da língua" de Eugénio de Andrade, como muito boa é toda a sua vasta obra.
Coloquei aqui as palavras do poeta como forma de lhe prestar a minha singela homenagem no dia do seu aniversário (19 de Janeiro).

Quanto a treinos claro que continuam, provas talvez faça uma este fim-de-semana que vem.
Em Fevereiro tenciono fazer 3 provas.
Abraço