Amigos das Palavras

“…quando ia treinar passava pelas ruas a correr e ninguém podia imaginar o mundo de palavras que levava comigo. Correr é estar absolutamente sozinho. Sei desde o início: na solidão é-me impossível fugir de mim próprio. Logo após as primeiras passadas, levantam-se muros negros à minha volta. Inofensivo o mundo afasta-se. Enquanto corro, fico parado dentro de mim e espero. Fico finalmente à minha mercê. No início, tinha treze anos e corria porque encontrava o silêncio de uma paz que julgava não me pertencer. Não sabia ainda que era apenas o reflexo da minha própria paz. Depois, quando a vida se complicou, era tarde demais para conseguir parar. Correr fazia parte de mim como o meu nome…”

Palavras de José Luís Peixoto in "Cemitério de Pianos"

quarta-feira, 30 de agosto de 2017


O evento 10ª Corrida dos Moinhos de Penacova, prova integrada no Circuito Nacional de Montanha 2017, que decorreu durante o passado domingo, dia 27 de agosto, foi composto por 2 provas competitivas, um Trail com 21km (D+ 990 m) e um Mini-Trail com 12,6 km (D+ 670 m), bem como uma caminhada com 10 km não competitiva.
As 2 provas competitivas tiveram as linhas de partida na margem direita do rio Mondego e as linhas de chegada no areal da Praia fluvial do Reconquinho, na margem esquerda do Rio Mondego, após a passagem da ponte pedonal.
A organização esteve a cargo da Câmara Municipal de Penacova, teve a colaboração da Federação Portuguesa de Montanhismo e Escalada e Terras de Aventura.
Resumidamente os percursos tiveram uma acentuada subida inicial, em direção à zona histórica de Penacova, e posterior descida à Quinta da Ribeira, pela escadaria de acesso a esse local, seguindo-se alternância de subidas e descidas percorrendo trilhos pedestres, veredas, caminhos e estradas municipais que levaram os participantes a passar pela Ribeira da Presa, Ponte da Galiana, fornos de cal de Casal de Santo Amaro, núcleo de moinhos de vento de Gavinhos, Espinheira, núcleo de moinhos da Portela (ponto mais elevado do percurso - 476 metros), moinho do Aviador, Ponte e Quinta da Ribeira, ponto a partir do qual os atletas efetuaram o percurso inicial, em sentido contrário até à meta.

Em fase final do nosso período de férias resolvi aliar a um fim de semana na zona de Coimbra uma participação no evento, em concreto na prova de 21 km, fiz toda a prova em ritmo bastante confortável e desfrutei bastante da beleza do percurso. Gostei da prova que foi muito bem organizada, do percurso durinho e da marcação 5 estrelas.


Tarde de sábado (Soutelo) - eu, Vivi, Isabel, a minha irmã Ana e o meu cunhado Manuel

sexta-feira, 25 de agosto de 2017

Ultra Trilhos Rocha da Pena 2017.



 O evento Ultra Trilhos Rocha da Pena 2017 que decorreu durante o dia 13 de agosto foi composto por 3 provas: Ultra Trilhos com 48km e D+ 2260 m, Trail longo com 24 km e D+ 1200 m e Trail curto/caminhada com 16 Km e D+ 850 m.
A organização esteve a cargo da ATR - Associação Algarve Trail Running, teve a colaboração da ACS - Associação Cultural de Salir e da Secção de Mototurismo da ACS e contou com o apoio da Câmara Municipal de Loulé, Junta de Freguesia de Salir e União de Freguesias Querença/Tôr/Benafim.
Todas as provas tiveram as linhas de partida e de chegada no complexo desportivo de Salir.

A marcar o nosso inicio de férias por terras do "Algarve" decidi participar no evento tendo optado por participar na prova de distância intermédia, a de 24 km.
Os primeiros 20 quilómetros da prova correram dentro do esperado, sempre em ritmo confortável e a desfrutar da prova, inesquecível correr lado a lado com as cabras que a dada altura seguiram junto com os atletas, depois comecei a sentir bastante o efeito do calor e os últimos quilómetros não foram fáceis sendo que após a "subida da morte" e após alguns minutos de recuperação à sombra lá segui para o último quilómetro e meio que faltava até à meta...
Após cortar a linha de chegada resto de dia passado na piscina do compexo de Salir, excelente inicio de férias por terras do "Algarve" e muita vontade de repetir para o ano.