Amigos das Palavras

“…quando ia treinar passava pelas ruas a correr e ninguém podia imaginar o mundo de palavras que levava comigo. Correr é estar absolutamente sozinho. Sei desde o início: na solidão é-me impossível fugir de mim próprio. Logo após as primeiras passadas, levantam-se muros negros à minha volta. Inofensivo o mundo afasta-se. Enquanto corro, fico parado dentro de mim e espero. Fico finalmente à minha mercê. No início, tinha treze anos e corria porque encontrava o silêncio de uma paz que julgava não me pertencer. Não sabia ainda que era apenas o reflexo da minha própria paz. Depois, quando a vida se complicou, era tarde demais para conseguir parar. Correr fazia parte de mim como o meu nome…”

Palavras de José Luís Peixoto in "Cemitério de Pianos"

quarta-feira, 17 de dezembro de 2014

Os dias correm felizes...

Foto de Isabel Almeida

Está vencido o 1º período de mais um ano lectivo da Vitória, tínhamos esperança que a sua adaptação à nova realidade do seu caminho de instrução escolar (um novo ciclo, uma nova escola, novos amigos) fosse boa como na prática veio a acontecer mas fomos brindados com o facto de a mesma ter superado as nossas melhores expectativas.   
Foram pois dias muito felizes os que correram desde meados de Setembro quando o ano lectivo se iniciou, muito felizes mesmo.

Quanto a correr tenho conseguido manter os meus 3 "religiosos" treinos semanais ainda que repetidas vezes, concentrados de sexta a domingo, já quanto a provas e nos próximos tempos apenas conto participar na prova com que tenho nos últimos anos "fechado" o ano de corridas, a São Silvestre de Lisboa.
Por ora resta-me desejar a todos muitas e boas corridas, até um dia destes por aí. Em particular para todos os que fazem questão de manterem as suas "tasquinhas" abertas aos amigos, abraço grande.
António Almeida