quarta-feira, 26 de maio de 2021

70


Na manhã do passado domingo o belíssímo areal que se estende desde a Costa de Caparica até para lá da Fonte da Telha foi cenário de mais uma edição da meia maratona na areia Analice Silva.

Prova única por ser a única meia do país corrida em piso de areia e especial por ter o nome da campeã. A esta  meia não há como faltar, é da minha parte uma singela homenagem a uma pessoa por quem nutria a maior admiração, respeito e carinho, Analice Silva. Desde 2017, ano de partida da Analice e ano em que esta meia foi rebatizada com o nome da campeã que estive presente nas 4 edições realizadas desde então.

Desta feita sem treinos sabia que ia custar um pouco mais, o forte vento que se fez sentir após o retorno também não foi fácil mas, foi mesmo uma excelente manhã de domingo.

Foi a minha 70ª meia-maratona e por uma feliz coincidência corri com o dorsal 70.

terça-feira, 1 de dezembro de 2020

quinta-feira, 1 de outubro de 2020

12H#BEACTIVE


Organizado pelo Instituto Português do Desporto e Juventude I.P. (IPDJ), em parceria com o Clube Olímpico de Oeiras e Câmara Municipal de Oeiras e, com o apoio técnico da HMS, decorreu no passado domingo, dia 27 de Setembro, o evento "12h#BEACTIVE", o qual fez parte de um vasto programa da Semana Europeia do Desporto, uma iniciativa da Comissão Europeia e que em Portugal foi coordenado pelo IPDJ. O evento com um conceito inovador, dentro das recomendações da DGS, provou também, ainda que não fosse essa a sua finalidade, que é possível ir além do virtual.

O evento "12H#BEACTIVE" foi constituído por uma prova de resistência de 12 horas (individual e por equipas de 2, 4 ou 6 elementos), sendo que o objetivo da competição, quer correndo individualmente quer correndo em equipa, era percorrer a maior distância possível no decurso das 12 horas de prova. Em paralelo decorreram também provas de 5000 metros (1 volta) e 10000 metros (2 voltas) por slot (houve 5), em que os participantes puderam participar no período previamente escolhido e sendo possível iniciarem as suas provas até uma hora antes do final do seu slot. Foram disponibilizadas 1000 inscrições gratuitas, 250 para a prova de resistência e 750 para as outras 2 provas (5000 e 10000). 

O evento decorreu no Centro Desportivo Nacional do Jamor num circuito de 5000 metros na sua quase totalidade composto pelos trilhos existentes, além de cerca de uma volta na pista de tartan e por umas centenas de metros percorridos na parte superior das bancadas do histórico estádio. Circuito muito bem delimitado e bastante durinho em especial para quem participou na prova de 12 horas.

A prova de resistência teve uma duração máxima de 12 horas, das 8h às 20h, sendo que os participantes tiveram até às 10h da manhã para iniciarem as suas provas e darem as mesmas por concluidas quando o entendessem. Desta prova resultaram números interessantes com 31 classificados na prova de 12 horas individual sendo que cada um dos 4 primeiros atletas correram 100 ou mais quilómetros (405 quilómetros no conjunto destes 4 atletas). Foram eles, o Sérgio Teixeira (105 km), o David Faustino (100 km), a Isabel Moleiro (100 km) e o Bruno Marcelino (100 km), números tanto mais surpreendentes se atendermos à atual situação que vivemos e à dureza do circuito. Seguiram-se 5 atletas com 80 quilómetros percorridos (400 km no conjunto), 6 atletas com distâncias entre os 50 e 75 quilómetros (360 km no conjunto) e os restantes 16 com distâncias abaixo dos 50 quilómetros (375 km no conjunto). Os 31 atletas que participaram na prova das 12 horas completaram 308 voltas a que corresponderam 1540 quilómetros. Já os 64 atletas que constituíam as equipas completaram 270 voltas a que corresponderam 1350 quilómetros.  

No total de todas as provas (5000, 10000 e resistência) estiveram presentes 562 atletas que completaram em conjunto 1291 voltas a que corresponderam 6455 quilómetros.

Se atendermos a que em cada volta de 5 km cada participante percorria cerca de uma volta na pista, a pista de tartan do Estádio Nacional durante as 12 horas foi percorrida cerca de 1291 vezes a que correspondeu mais de 500 quilómetros.

Em tempos de pandemia melhor era mesmo impossível.

segunda-feira, 28 de setembro de 2020

A minha primeira prova em tempos de pandemia.

Estádio Nacional - dia 27 de Setembro de 2020

À entrada para iniciar a minha prova

Durante a prova com a "máquina" António Soares

Correr e andar, mais que estratégia uma necessidade.  

 Na minha 12ª volta tive uma lebre de luxo.

sábado, 21 de março de 2020

quinta-feira, 2 de janeiro de 2020

Balanço 2019.



Em resumo, 14 provas (4 ultras, 5 meias e 5 provas de 10 quilómetros) para um total de 425,8 quilómetros corridos.
Um bom ano 2020 com muita Saúde, Amor e Corridas.