quinta-feira, 8 de agosto de 2019

6 vezes UMA.

Tróia, tarde do último domingo, prestes a terminar a minha 6ª UMA. 
[clicar na imagem para ver melhor]

sexta-feira, 2 de agosto de 2019

quinta-feira, 1 de agosto de 2019

UMA, a prova (1 de agosto de 2010).

Faz hoje 9 anos que se disputou a edição de 2010 da Ultra Maratona Atlântica, então a 6ª edição da versão século XXI, estive lá repetindo a minha presença de 2009...
Foi uma edição com 166 atletas classificados na meta (156 homens e 10 senhoras), um recorde das edições disputadas até então.

[clicar na imagem para ver melhor]

terça-feira, 23 de julho de 2019

UMA, a prova (as minhas participações).


 - à esquerda: eu e Vitória com a grande Analice.
 - à direita: eu com os mestres Adelino e Andrade.
[clicar na foto para ver melhor]


Participei em 2009 pela primeira vez na Ulta-Maratona Atlântica, repeteria em 2010, 2011, 2012 e 2017.

sexta-feira, 19 de julho de 2019

UMA, a prova (Troféu Analice Silva).


Sérgio Tomás, Jaime Lamego, Chantal Xhervelle, representante Analice Silva e Rui Freitas.
[clicar na foto para ver melhor]

Até ao ano de 2016, Analice Silva foi uma de cinco atletas totalistas da Ultra Maratona Atlântica, sendo aquela que correu mais vezes pelo areal a distância que separa Tróia e Melides, tendo contabilizado quatro participações no Raid Pedestre de Grândola (num total de cinco edições) e, contabilizando ainda a participação em todas as 12 edições na Ultra Maratona Atlântica Melides-Tróia disputadas até então.
Analice Silva faleceu em 2017 e o município de Grândola decidiu introduzir logo na edição desse ano da Ultra-Maratona Atlântica,  o Troféu Analice Silva, o qual passou a homenagear a partir dessa edição de 2017 os atletas totalistas, até à edição anterior.
Além da Analice Silva eram totalistas até 2016 os atletas Chantal Xhervelle, Jaime Lamego, Rui Freitas e Sérgio Tomás.
Em 2017 continuaram totalistas os três atletas masculinos, Chantal participou na prova, mas não concluiu.
Em 2018 voltaram os três atletas masculinos a concluírem com êxito a UMA, Chantal Xhervelle voltou a participar concluindo com êxito passando a somar 13 metas cortadas em 14 edições disputadas.
Os atletas Jaime Lamego, Rui Freitas e Sérgio Tomás, estão inscritos para a edição de 2019, sendo de esperar que vá continuar a haver totalistas.
Chantal Xhervelle que já venceu a prova por quatro vezes (2005, 2007, 2009 e 2010) está igualmente inscrita.

quinta-feira, 18 de julho de 2019

UMA, a prova (Vencedores).


Nas 14 edições disputadas da Ultra-Maratona Atlântica foram 11 os atletas que inscreveram o seu nome na lista dos ilustres vencedores (6 atletas no sector masculino e 5 atletas no sector feminino).
Os atletas com maior número de vitória são Eusébio Rosa (masculinos) e, Patrícia Serafim (femininos), cada um com 6 vitórias e com desempenhos de altíssimo nível.
Eusébio Rosa venceu em 2007, 2008 e de 2010 a 2013 inclusive, detendo o recorde absoluto da prova obtido no ano de 2012 (02:46:30) e, a 2ª melhor marca (02:51:11), esta obtida no ano de 2007.
Patrícia Serafim venceu as seis últimas edições (2013 a 2018) em femininos, detendo o record da prova obtido no ano de 2016 (03:30:46). Esta atleta tem-se classificado nos últimos anos nos 10 primeiros da geral (10ª em 2015, 9ª em 2016, 5ª em 2017 e 4ª em 2018), com diferenças para o vencedor masculino e absoluto da prova a decrescerem de ano para ano sendo que em 2018 a diferença foi de 13 minutos e 33 segundos.

[clicar na imagem para ver melhor] 

quarta-feira, 17 de julho de 2019

UMA, a prova (Analice Silva).

[clicar na imagem para ver melhor]

Analice Silva, atleta falecida em fevereiro de 2017, é para mim, a grande figura desta prova única que é a Ultra-Maratona Atlântica. Analice participou em 4 das 5 edições do Raide Pedestre de Grândola que ocorreram nos anos oitenta do passado século e, em todas as edições entre 2005 e 2016 (1ª à 12ª edição) da Ultra-Maratona Atlântica, um desempenho tanto mais notável se atendermos à idade de Analice e à regularidade dos tempos com que terminou cada uma dessas 12 edições.
Correndo sempre descalça, como habitualmente fazia em provas na areia e valendo-se da sua aguinha de coco para hidratar, foram várias as presenças no pódio pese o facto de Analice devido à inexistência de escalão ter sido sempre englobada em escalões (+40, +45, …) com atletas bastante mais novas.
Recordem-se a primeira e a última vez que Analice subiu ao pódio da Ultra-Maratona Atlântica.
A primeira vez, no ano de 2005, o da 1ª edição da UMA, Analice que tinha 61 anos, foi a primeira atleta feminina +45 anos.
A última vez, no ano de 2015, Analice já então com 71 anos foi a 2ª atleta F4599…atrás de uma outra grande figura da prova, Chantal Xhervelle.