Amigos das Palavras

“…quando ia treinar passava pelas ruas a correr e ninguém podia imaginar o mundo de palavras que levava comigo. Correr é estar absolutamente sozinho. Sei desde o início: na solidão é-me impossível fugir de mim próprio. Logo após as primeiras passadas, levantam-se muros negros à minha volta. Inofensivo o mundo afasta-se. Enquanto corro, fico parado dentro de mim e espero. Fico finalmente à minha mercê. No início, tinha treze anos e corria porque encontrava o silêncio de uma paz que julgava não me pertencer. Não sabia ainda que era apenas o reflexo da minha própria paz. Depois, quando a vida se complicou, era tarde demais para conseguir parar. Correr fazia parte de mim como o meu nome…”

Palavras de José Luís Peixoto in "Cemitério de Pianos"

domingo, 28 de agosto de 2011

Setembro está batendo à porta.

Mas enquanto ele está batendo e não entra mesmo continuam os dias de descanso...
Dias de descanso mas também de dias de correr, aqui no Algarve por onde temos estado foram 4 os dias em que corri, há uma semana e hoje mesmo duas corridinhas mais longas, durante a semana duas corridinhas mais curtas...
Continuação de boas férias (para quem for o caso) e um bom regresso ao trabalho.
Até um dia destes.

Nota) A expressão que serviu de título neste meu post foi-me em tempos trazida a este blog através de um comentário aqui feito por uma blogger (bom estares de volta).

segunda-feira, 15 de agosto de 2011

Trail Nocturno da Lagoa de Óbidos + Corrida da Praia Norte (2ª edição).

Na noite do passado sábado em Óbidos, ontem em Peniche, voltei às provas, em Óbidos no III Trail Nocturno da Lagoa de Óbidos, em Peniche na Corrida da Praia Norte, foi a minha 2ª edição "Óbidos+Peniche" (a 1ª aqui).
Na noite de Óbidos foi o reencontar de muitos amigos, também dos meus ilustres companheiros do "Mundo da Corrida", uma honra e prazer fazer parte da equipa.
Depois foi o desfrutar de 25 quilómetros de corrida, não à luz da lua que essa esteve sempre escondida mas apesar disso numa noite muito boa para correr e num percurso impecávelmente sinalizado, depois de passar a "porta da traição" o saborear de mesas fartas nas quais nem a canja faltou, muito bom mesmo.
Na manhã de Peniche foi o saborear de curtinhos cerca de 6 quilómetros corridos debaixo de uma chuva miudinha mas num piso de areia lisinho e consistente.
Boas férias e boas corridas, até um dia destes.


Em Óbidos:

Em Peniche: