Amigos das Palavras

Por decisão do autor deste blogue os textos do próprio não seguem o acordo ortográfico de 1990.



segunda-feira, 2 de junho de 2008

Marcha/Corrida Contra a Fome - Walk the World 2008.

Sábado de tarde depois de termos levantado os dorsais (eu e a Vitória).

A Vitória com a mamã e a tia Ana antes da "Marcha Contra a Fome" na companhia de caras conhecidas.

Momento em que me cruzei com os meus acompanhantes "marchantes" e bati na mão da Vitória.

A Vitória depois da sua 2ª "Marcha Contra a Fome", a 1ª foi em 2006.

A família reunida depois da "Marcha/Corrida Contra a Fome".

As palavras da página na Internet da TNT dizem que:

-Há alimentos suficientes para alimentar toda a população mundial durante quase meio século.
-Apesar disso, mais de 300 milhões de crianças em todo o mundo sofrem de fome crónica.
-A fome e a subnutrição são as causas de mais de metade do número total de mortes de crianças, provocando, todos os anos, a morte de aproximadamente 6 milhões de crianças.
-Pode ser fornecida uma refeição escolar a uma criança que tem fome pela irrisória quantia de 16 cêntimos por dia.
§
Agora as minhas palavras, como sempre, palavras de um homem que gosta de correr:
Decorreu na manhã deste domingo a “Marcha Mundial Contra a Fome”- “Walk the World 2008”, a manifestação global anual destinada a promover a sensibilização e recolher fundos para os programas que abordam o problema da fome infantil, projecto promovido pelo Programa Alimentar das Nações Unidas e a empresa logística TNT.
No mundo, o balanço provisório aponta para mais de 700 mil participantes e dez milhões de euros angariados
Por cá foram mais de dez mil os “marchantes” nas cidades de Lisboa, Porto, Coimbra e Angra do Heroísmo, cidades portuguesas onde decorreram marchas (em Lisboa, Porto e Coimbra decorreram simultaneamente corridas contra a fome).
Cada participante português contribuiu com dez euros tendo-se angariado cerca de cem mil euros.

No Dia Mundial da Criança, a Vitória participou na marcha na companhia da mamã e dos tios Ana e Manuel António, eu participei na corrida contra a fome, a qual teve a distância de 10 quilómetros e, ao invés das marchas, um número reduzido de participantes, 274 em Lisboa, 207 no Porto e 57 em Coimbra (em 2007 a corrida na capital registou 425 participantes, na invicta 253 e na cidade dos estudantes 88).
Será que a realização à mesma hora de outros eventos desportivos, por sinal também à beira-rio (corrida do oriente e mexa-se na marginal) terão contribuido para o decréscimo de número de participantes na corrida de Lisboa (no Porto e em Coimbra também houve decréscimo mas foi menor) ou será que os habituais atletas do pelotão, o qual como se sabe é fortemente competitivo, não se identificam mesmo com este tipo de corridas em que o importante mesmo é a participação?
Foi a minha terceira corrida de 10 quilómetros no corrente ano, depois de Grândola e Atlântico em Fevereiro passado, e de ter falhado a corrida do Benfica no passado mês de Maio (estava inscrito mas acabei por não participar).
Demorei 45’16’’ (ritmo de 4’32’’/km), 47º da geral e 7º do meu escalão (M4549), a completar os fáceis e quase “solitários” 10 quilómetros da minha corrida, durante a mesma cruzei-me com os “marchantes”, os quais foram bastante generosos nos incentivos (o meu muito obrigado), nos quais vinham também os meus acompanhantes, quando por eles passei recebi também os seus incentivos e bati da mão da Vitória.
Ainda antes da corrida registo o reencontro que tive com o Rui Baptista, companheiro de corridas de há 30 anos nos tempos do São Paulo de Almada e do Ginásio Clube do Sul, Rui Baptista que me descobriu há uns tempos através do meu blog e que hoje me reconheceu e veio falar comigo.
Gostei de te rever companheiro.

Termino referindo que por cá por casa o facto me passou ao lado (quase só se vê o canal panda e pouco mais…e, ainda bem que assim é) mas no blog do Nuno Cabeça,
a minha corrida, tomei conhecimento de que os canais de televisão ignoraram por completo o evento em solo luso, chegando mesmo a noticiar marchas realizadas noutros países sem referir que elas também decorreram em Portugal. Lamentável mas muito elucidativo. Sem mais comentários.

5 comentários:

Carlos Lopes disse...

Bom ver uma familia feliz

Wladimir Azevedo disse...

Olá Antônio,

que iniciativa sensacional desta prova... infelizmente aqui no Brasil, pelo menos no Rio de Janeiro, não temos este evento.

Parabéns pelo ótimo tempo e por reunir toda a família.

Muito Obrigado pelo seu comentário lá no blog.

Um grande Abraço,
Wladimir

luis mota disse...

Olá António!
É uma boa iniciativa que te felicito pela participação.
Boas corridas!
Luís Mota

Nadais disse...

antónio,

inicialmente grato pela visita.

aqui no brasil, muito se fala na fome mundial, posto que, indiretamente, atacam a produção do etanol de cana brasileira.

acho que o problema está nas regiões pobres, como africa, india paquinstão, onde se concentram a maior parte dos famintos.

entretanto todo e qualquer movimento em 'alertar' o mundo é sempre bem vindo.

valeu!

nadais

Wladimir Azevedo disse...

Olá Antonio,

obrigado por suas visitas lá no blog e pelo comentário sobre descansar quando o corpo pedir.

E ai ? como vão os treinos e as corridas meu amigo ?

Abraços