Amigos das Palavras

Por decisão do autor deste blogue os textos do próprio não seguem o acordo ortográfico de 1990.



sábado, 25 de abril de 2009

25 de Abril.

Esta é a madrugada que eu esperava
O dia inicial inteiro e limpo
Onde emergimos da noite e do silêncio
E livres habitamos a substância do tempo

Sophia de Mello Breyner Andresen

4 comentários:

Carlos Lopes disse...

esta é a noite
aquela que me afoga o pensamento
liberta o outro eu
esta é a noite que antevejo
que amanha será dia de correr

joaquim adelino disse...

Amigo António, com um abraço.

25 DE ABRIL
Depois de retiradas as mordaças,
Sorrisos se abriram, iluminados,
Por não sentirem mais as ameaças,
Dos anos que viveram flagelados.

Todo cano de qualquer espingarda,
Por cravo vermelho fora adornado
E a revolução desencadeada
Enterrou a repressão no passado.

Nas ruas, um mar de gente feliz
Cantava pelos cantos da cidade...
Juntavam-se às tropas, os civis,
Num grito de vitória e liberdade.

Pelas partes da Baixa e do Terreiro
Marcharam, com esperança no futuro,
Deixando para trás o lamaceiro
Da história, daquele tempo obscuro.

Muita gente alegremente acenava,
Saudando aquele povo varonil
Que por uma Pátria livre marchava,
Na luta do vinte e cinco de abril

(Lenya Terra)

Anónimo disse...

Amigo Antonio.
Foi um prazer o ter visto no final da corrida da Liberdade, prova com um percurso muito bonito.

PS: 25 de Abril, é uma data para mim memorável, quando ouvi na rádio às 6 da manhã esta notícia
Fiquei eufórico, isto já vai há 36
Anos quando estava em Paris a trabalhar.
Um abraço
Apinho

António Almeida disse...

Carlos
claro meu amigo que não se pode deixar de correr pela Liberdade.

Joaquim
obrigado por estas palavras sobre o 25 de Abril.

António Pinho
o prazer foi também meu, mesmo sendo um pouco mais novo a data tem também para mim um forte significado.

Grande abraço aos 3.