Amigos das Palavras

Por decisão do autor deste blogue os textos do próprio não seguem o acordo ortográfico de 1990.



segunda-feira, 23 de junho de 2008

Corrida da Luz 2008.

(foto de Isabel Almeida)

Na noite do passado sábado participei na 2ª Corrida da Luz, evento organizado pela Last Lap, o qual contou com o apoio da Câmara Municipal de Lisboa e da EGEAC, que o incluíram no Programa das Festas da Cidade 2008.
A prova teve 10 quilómetros ao longo de algumas das principais artérias da capital tendo como ponto de partida e chegada a Praça do Comércio, uma das maiores Praças da Europa, a qual também é bastante conhecida como Terreiro do Paço (foi o local do palácio dos Reis de Portugal durante cerca de dois séculos).
Esta era uma das provas a que eu não podia faltar, juntar o prazer de correr em Lisboa com o de correr à noite, noite que esteve ideal para correr…na cidade mulher da minha vida.
A Vitória com a mamã (que tiveram também a companhia da tia João e do primo David) acompanharam-me a esta prova.

Os atletas consoante os seus tempos feitos na distância tinham acesso a “portas” (Sub45’, Sub60’ e Over60’) para entrarem na zona de partida, partida que foi dada às 22 horas e assinalada também com um pequeno fogo de artifício, nos metros iniciais da prova desta feita não consegui ver nenhum dos meus acompanhantes, completei o 1ºkm em 4’22’’ e o 2ºkm em 8’40’’, logo depois o retorno por baixo do viaduto de Santa Apolónia (onde também é feito o retorno da “meia” de Lisboa), por baixo do mesmo alguns sem-abrigo deitados em cartões, pessoas que usam aquele local para passarem a noite, continuei a correr ainda a pensar naquelas pessoas, não reparei na marcação do 3ºkm (existiu marcação dos quilómetros em placas bem visíveis até pelo tamanho das mesmas), algures passámos por um arraial dos santos populares, a música e as palavras que falavam de Lisboa.
Cheguei ao 4ºkm com o cronómetro a marcar já mais de 18’, logo a seguir a 1ª passagem pela Praça do Comércio, tentei ver alguns dos meus acompanhantes, quando passei por eles bati na mão da Vitória que estava ao colo da tia João, entrei na Rua da Prata, nessa zona do percurso estava um número maior de pessoas, os incentivos começaram a ser mais frequentes, poucos na língua de Camões e Pessoa.
De passagem da Praça da Figueira para o Rossio passei pela marca do 5ºkm, o meu relógio marcava já 22’30’’, a 1ª passagem pelo Rossio, depois os Restauradores e a subida da Avenida da Liberdade, ao cimo a altivez da figura do Marquês a servir de referência do ponto de retorno da prova naquela parte do percurso.
Das laterais da Avenida a chegarem-nos aos ouvidos algo em que os portugueses são muito bons a expressarem-se (as buzinadelas dos automóveis).
Pouco antes do ponto de retorno passei pela zona do abastecimento, a seguir a descida da Avenida da Liberdade comigo a deixar-me ir, cheguei ao 8ºkm com 36’ de corrida, nova passagem pelo Rossio, as esplanadas dos cafés completamente cheias de pessoas, bom ver Lisboa respirar vida (com dignidade), entrei na Rua do Ouro, olhei em frente, o escuro da noite a confundir-se com o escuro sereno do rio, o número de pessoas a diminuírem, alguns incentivos em…português, de novo na Praça do Comércio, passei pela placa do 9ºkm, o meu relógio já a marcar mais de 40’ minutos de corrida, vi de novo os meus acompanhantes, ainda a ida e volta quase até ao Cais do Sodré, olhei uma vez mais o relógio já a registar quase 44’, finalmente a meta à vista, vi de novo os meus acompanhantes, reduzi ligeiramente para saber se a Vitória queria cortar a meta comigo, resposta negativa, tempo para um último sprint para tentar terminar abaixo dos 45’…logo depois cortei a linha de chegada.
No final cada participante recebeu um saco com uma água, uma bebida isotónica e uma barra de cereais. Quando do levantamento do dorsal (personalizado) cada participante tinha recebido também uma t-shirt técnica de cor amarela.
A prova teve cobertura fotográfica (aqui fotos da minha chegada).

As classificações foram disponibilizadas no site da prova pouco passava da meia-noite.
O meu tempo foi de 44’44’’ (média de 4’28’’/km), classifiquei-me no lugar 181 da geral e no meu escalão, Veterano B (nascidos antes de 22.06.1963) ocupei o 44º lugar (escalão em que terminaram 289 atletas).
A prova teve 877 atletas classificados na meta, dos quais 753 eram do sexo masculino e 124 eram do sexo feminino, respectivamente, 85,86% e 14,14% do número total.
Excelente a percentagem de participação feminina muito acima do habitual.
Os mais rápidos foram, em masculinos, João Vaz (Amigos Vale Silêncio) com o tempo de 33'32'', e, em femininos, Susana Adelino (CCD Câmara de Loures) com o tempo de 40'30'', atleta que já tinha vencido também em 2007, ano da 1ª edição da prova.

Uma grande noite de sábado na que foi também a noite mais curta do ano.
Mais uma vez foi mesmo muito bom correr em Lisboa, para mim a primeira vez à noite.

Lisboa menina e moça, menina
da luz que os meus olhos vêem, tão pura
teus seios são as colinas, varina
pregão que me traz à porta, ternura.
Cidade a ponto luz, bordada
toalha à beira mar, estendida
Lisboa menina e moça, amada
cidade mulher da minha vida.

Lisboa no meu amor, deitada
cidade por minhas mãos, despidas
Lisboa menina e moça, amada
cidade mulher da minha vida.

(excerto da letra da canção "Lisboa menina e moça"
de José Carlos Ary dos Santos)

5 comentários:

Carlos Lopes disse...

Ola Antonio

Parabens por mais esta prova, e pelo tempo. Um forte abraço

Jorge disse...

Grande Atonio boa noite, bom meu amigo vc perguntou se ontem aqui no Brasil (Rio de Janeiro)foi feriado, não foi, mais nesta cidade que eu corri que é comemorado na cidade local o dia de São João Batista com uma grande festa e essa corrida. Agora sobre essa corrida da Luz muito legal lindo essa cidade Parabéns por mais um desafio completado e que fizeste um ótimo tempo, legal também que encontrou vários amigos.
Valeu meu amigo boas passadas.
JORGE CERQUEIRA

Jorge disse...

Ah meu amigo esqueci de dizer essa corrida que eu corri ela é antiga sim. E inclusive teve presença de 3 quenianos mais quem chegou em primeiro lugarr brasileiro.
Um abraço
JORGE

Susana disse...

Olá António, quero dar-lhe os meus Parabéns pela sua prova e também pelo seu espírito, a forma como encara a vida e o desporto, que dão para ver no seu blogue.
Muito Obrigada pela referência que me fez nas suas "Palavras de Corredor" neste relato da Corrida da Luz, que gostei muito de ler.

Desejo-lhe a si e à sua família continuação de boas corridas!
É lindo ver a família junta no desporto. Também tenho essa alegria!

Saudações desportivas

luis mota disse...

Fantástico!
Parabéns António.