Amigos das Palavras

Por decisão do autor deste blogue os textos do próprio não seguem o acordo ortográfico de 1990.



terça-feira, 15 de setembro de 2009

33ª Meia-Maratona São João das Lampas (II - Palavras).

Na tarde do passado sábado, dia 12 de Setembro, participei na 33ª Meia-Maratona de São João das Lampas, na que foi a minha terceira participação consecutiva na prova.
Nunca tínhamos chegado tão cedo a São João das Lampas como este ano mas o desafio "35 anos, 35 quilómetros" a isso obrigou pois previamente estava combinado começarmos o mesmo cerca das 15:15h para corrermos 14 quilómetros a que se seguiria os 21 da prova.

…à medida que nos íamos aproximando de São João das Lampas começamos a ver alguns dos pára-quedistas que já iam saltando, continuámos a correr ainda a conversar como quase sempre aconteceu durante os 14 quilómetros que corremos juntos, já em São João das Lampas onde retornamos faltaria pouco mais de 10 minutos para o início da prova, o ambiente agora era bem diferente da pacatez de quando dali tínhamos saído cerca de hora e meia antes, muitos atletas em fase final de aquecimento, muita animação, muitas pessoas, muita alegria no ar.
Continuámos ainda a correr durante alguns minutos de modo a completar como previsto 14 quilómetros, na passagem pela recta na meta vi o "José que também corre" que estava junto da Isabel e mais uma vez foi a correr que o cumprimentei, pouco depois fomos vendo e cumprimentado outros companheiros daqui da blogosfera, o Magro, o Andrade, o Luís, o Joaquim, o João Paixão, também outros companheiros das corridas.
Pouco depois completados que estavam os 14 quilómetros foi tempo de me despedir do Carlos e do Alessandro e de cada um se preparar para a prova.

Ainda antes da partida tempo para uma foto com o meu cunhado Vitor, estreante em "meias" e logo na apelidada meia maratona de São João das…rampas.
Pouco depois finalmente cumprimentei sem ser a correr o José Alberto Bastos, de facto as duas anteriores vezes em que nos tínhamos visto teve essa particularidade de ser sempre a correr (nas maratonas do Porto e de Lisboa do passado ano).
Logo depois a buzina anunciava o início da prova, a voltinha ainda em São João das Lampas com a tradicional passagem pela zona de partida/chegada, ainda nesses metros iniciais formou-se um grupinho composto por mim, pelo Vitor e pelo Joaquim, faríamos grande parte da prova juntos tornando-a assim, pelo menos para mim e estou certo que também para eles, bastante agradável e até mais fácil.
Na passagem por São João das Lampas fomos "brindados" com o forte incentivo da Vitória, da Carolina, da Isabel e da Ruth.
Saímos de São João das Lampas para a segunda parte da prova numa altura em que já se dirigia para a meta aquele que viria a ser o atleta mais rápido dos presentes nas Lampas na tarde do passado sábado.
Por volta dos 16 quilómetros (coincidindo com os 30 quilómetros que já tinha corrido) decidi correr um pouco mais rápido acabando por completar a prova em 1h52'51'', tempo não muito superior aos meus registos nas Lampas (1h50'26'' em 2007 e 1h49'07'' em 2008).
Como sempre tem acontecido nas Lampas cortei a meta de mão dada com a minha menina de ouro tendo recebido logo depois o beijo da Vitória.

Uma palavra de apreço para o Vitor pela sua primeira "meia" e com um registo bastante aceitável, igualmente uma palavra de apreço para o Joaquim pela determinação e garra que sempre demonstra.
Já depois da prova ainda tempo para conviver um pouco com alguns companheiros de corridas e da blogosfera, momentos sempre muito agradáveis.

Da prova referir que pelo 2º ano consecutivo registou mais de 3 centenas de atletas na meta (309 este ano, 316 há um ano), dos quais os mais rápidos foram José Gaspar (G.D. 3 Santos Populares) em 1h08' e Helena Sampaio (Maratona Clube de Portugal) em 1h21'28''…e, arrisco-me a dizer que nada ou pouco mais pode ser dito que ainda o não tenha sido, afinal já são 33 anos de vida de uma prova carismática, sedutora e que nos cativa como poucas, não será a isso alheio o trabalho do obreiro desde a primeira hora, o Fernando Andrade.
Por mim resta-me agradecer uma excelente tarde de sábado, escusado será dizer que volto para o ano.

Os homens da AMMA mais uma vez marcaram presença nas Lampas (as fotos de: António Lopes, Carlos Viana Rodrigues, José Duarte e José Gaspar).

7 comentários:

Maria Sem Frio Nem Casa disse...

Olá António

à chegada a S.João ainda te vi a correr, já... buzinei mas acho que não me reconheceste...(o carro)

Tive pena de não te ter voltado a rever, mas dadas as circunstâncias era o mais provável.

Por outro lado tive o prazer de estar um bocadinho de nada com a Isabel e a Vitória, a tua menina de ouro, cada vez mais bonita.

Parabéns pela prova e até um dia destes, de preferência na mesma linha de partida.(Meia Sport Zone, 18 Outubro, Porto?)

Ana Pereira

Ricardo Baptista disse...

Ola Antonio,
Boa prova e excelente treino. Prevejo que os records pessoais (meia e maratona) estao para ser batidos brevemente no Porto.
Acho que nao e o mais importante, mas e sempre bom. Um abraço.

Fernando Andrade. disse...

Amigo António
belas palavras, que nos estimulam a prosseguir com uma prova que tão "mimada" tem sido pelos participantes.
Muitíssimo obrigado.

Grande Abraço.
FA

JP disse...

Que grande treino, António.
A prova torna-se mais bonita de cada vez que a fazemos, mas é muito dura.
Abraço. A próxima Meia será no Porto.

Mário Lima disse...

Olá António

São João das…rampas gostei desta expressão pois corresponde à realidade. Fiz esta prova em 1994 em 1h e 28' e nunca mais lá voltei, pois achei a mesma para inicio de época muita dura... muita rampa!

:)

Se fazer a meia já é o que é imagina-se fazer 35km!!! É muita km mas o que dizer quando o Homem sonha o mundo pula e avança e não há nada que o faça parar.

Parabéns pelo esforço e pela prova.

Carlos Lopes disse...

Ola António

Obrigado pelos 35 e parabéns pela tua prova.

joaquim adelino disse...

Olá amigo António.
Raramente corro acompanhado e desta vez fi-lo com vocês e ainda bem pois permitiu-me fazer uma prova como há muito não fazia, agradável, tranquila e cheia de boa disposição. E isso eu tenho de lhe agradecer e também ao seu cunhado Vitor.
Partilho também da sua opinião muito positiva sobre a prova e o brio decisivo do Fernando Andrade para com todos nós.
Apesar de tantos chuveiros espalhados pelo percurso que permitem aos atletas irem refrescando-se, eu ainda procuro também os tanques de água onde possa ir tomando um banho de vez enquando, e que bem eles sabem.
Parabéns pela excelente prova e pelo apoio que prestou ao Carlos.
Abraço.