Amigos das Palavras

Por decisão do autor deste blogue os textos do próprio não seguem o acordo ortográfico de 1990.



domingo, 26 de dezembro de 2010

Uma história de Natal.

Era uma vez há muito, muito pouco tempo, mais concretamente na noite da passada quinta-feira, ante-véspera do dia de Natal...
Cerca de 8 dezenas de pessoas a que chamarei "piratas" encontraram-se na Serra de Monsanto, o objectivo tinha sido delineado em poucos dias e basicamente consistiria em correrem alguns quilómetros nos trilhos de Monsanto e no final beberem e comerem o que cada um tinha levado.
Dirigi-me para o local da "pirataria" na companhia da Isabel, do meu cunhado Vitor Veloso e do meu agora vizinho Nuno Santiago.
À hora que chegámos já um grupo bem composto de piratas por lá estavam, Parro e Orlando iam tratando de entregar logo dorsais e certificados em como tínhamos completado o assalto aos trilhos de Monsanto.
Uma das madrinhas (a Célia) já por lá estava também, o padrinho Andrade chegaria pouco depois e como também tinha sido combinado o pirata "007" tratou de fazer chegar ao local a outra madrinha (a Analice).
O outro padrinho, o raposão Jorge Branco ficou na toca.
Cerca de 15 minutos depois da hora prevista, depois de algumas fotos e de a madrinha Analice ter tentado dar o tiro de partida (à primeira o tiro não saiu o que levou logo alguns piratas a dizerem que a pistola era do "chinês") lá partiram as tais dezenas de piratas para o assalto aos trilhos de Monsanto...
Ao fim de alguns quilómetros e numa altura em que seguia apenas na companhia do Veloso demos por nós perdidos, pouco depois avistámos um grupo de 3 ou 4 piratas e lá seguimos junto com eles, apanhámos depois um outro grupo onde seguia a Analice e depois ainda um outro que já vinha de outra direcção.
Reagrupamento feito e lá seguimos todos na mesma direcção mas por pouco tempo pois como alguém tinha previsto a corda acabaria por partir mais uma vez, eu fiquei então num grupo de 7 a 8 piratas, numa altura em que se decidia se seguiríamos para a esquerda ou para a direita fomos surpreendidos por um grupo bem numeroso de piratas que vinham na nossa direcção, poucos mas destemidos ensaiamos então uma carga sobre os que chegavam, a partir dai e até ao fim segui sempre com esse numeroso grupo.
Depois seguiu-se o banho de água quente e o convívio entre os participantes.
Tempo para se cantar os parabéns à madrinha Analice pelos seu recente aniversário e para cada afilhado receber da madrinha Célia uma oferta, tempo também para momentos de sã camaradagem entre todos.
Vitória, Vitória, acabou-se a história...ou não, falta agradecer ao Jorge Branco que deu a ideia e aos piratas Parro, Peregrino, Tigre e Alex Duarte pelo contributo. Agradecer à madrinha Célia pela simpatia da oferta. Agradecer ao Orlando Duarte, esposa Leonor e filha Ana Soraia, não só pela simpatia e generosidade com que nos acolheram mas também pelas excelentes condições que tivemos que em muito contribuíram para o enorme sucesso que foi este encontro de piratas.
Grande abraço a todos, foi uma honra e prazer ter-vos como companheiros de pirataria.


As fotos da Isabel aqui.

3 comentários:

Jorge disse...

---------\\\\|/---------
--------(@@)-------
---ooO--(_)--Ooo-
Muito boa a história e parabéns pela prova amigo António eu espero que vc tenha tido com sua família um bom natal, lhe desejo um FELIZ 2011 com muita saúde e correndo muitos Kms.

Um abraço,

Jorge Cerqueira
www.jmaratona.com

Fernando Andrade. disse...

Grande António.
Excelente "Conto de Natal" a repetir. Como os miúdos diriam, querendo ouvir mais: -"e depois???".
Depois...que venha a próxima.
Um excelente Natal para toda a Família, amigo António.~
FA

luis mota disse...

Olá António!
Excelente iniciativa a vossa, grandes Piratas!
Votos de Boas Festas
Família Mota