Amigos das Palavras

Por decisão do autor deste blogue os textos do próprio não seguem o acordo ortográfico de 1990.



terça-feira, 18 de outubro de 2011

Quer o homem acreditar...

Contrariando o habitual em outros dias de domingo o homem desta vez optou pelo período da tarde para realizar o seu treino longo semanal.
Eram quatro e meia da tarde do último domingo quando o homem começou a correr, embora estivesse calor estava muito menos do que aquele que se tinha e se tem feito sentir nos últimos dias...
Pretendia o homem correr 30 quilómetros e completou o homem os primeiros dez bem abaixo da primeira hora de corrida com uma grande sensação de bem-estar num final de tarde que estava a ser mesmo muito agradável…
De repente o homem sente como se alguém lhe tivesse atado os pés e o puxasse, cai violentamente no chão, tenta-se defender da queda amparando-se com as mãos mas não consegue evitar que a cabeça bata também ela no chão, ainda no chão sente fortes dores no joelho, levanta-se ainda meio atordoado com a queda, olha o joelho que sangra sem parar, derrama uma garrafa de água sobre o mesmo, tira outra garrafa de água da mochila e derrama-a sobre as mãos, passa a mão pela cara e de novo o sangue que aparece, percebe que também sangra da cara mas não se apercebe de onde…
Encaminha-se para a casa de banho do parque que existe nas imediações quase com medo do que possa ver mas ao olhar-se ao espelho fica mais tranquilo já que a origem do sangue na cara são de pequenas feridas.
Coloca a perna no lavatório, abre a torneira e lança água sobre a ferida do joelho, consegue descortinar um "buraco" bem no centro do joelho, lá bem fundo parece-lhe ver o osso, percebe que ficou mesmo maltratado…
Procura depois um dos bancos do parque para se sentar, coloca a perna esticada sobre o mesmo, pega no telemóvel e liga para a mulher, relata o sucedido, pede que alguém o venha buscar…
Fica depois o homem sentado naquele banco, perna esticada, o joelho coberto de sangue, em seu redor tudo lhe parece calmo e quase perfeito, as crianças que brincam, os homens que jogam ténis, sente a tranquilidade das tardes de domingo.
Ficou ainda algum tempo o homem sentado no banco, pegou depois da mochila e já de pé olhou o joelho que já não sangrava tão violentamente como anteriormente, encaminha-se para a saída, liga de novo para a mulher e diz-lhe que afinal vai voltar a pé para casa, esta diz-lhe que as suas duas irmãs que estavam juntas e relativamente perto já iam a caminho, responde o homem que viessem que o apanhavam no caminho…
Passa pelo local onde caiu, percebe que terá enfiado o pé em uma fita de plástico (das de atar as caixas de cartão) e muito provavelmente terá pisado a mesma fita com o outro pé...
Regressa pelo caminho feito anteriormente a correr, chega á estrada principal, atravessa a mesma e continua a caminhar, pouco depois um carro que lhe apita, olha e vê as cunhadas dentro do mesmo, volta a atravessar a estrada e aproxima-se do carro, segue depois dentro do mesmo com as cunhadas e os dois sobrinhos, filhos de cada uma das duas, a cunhada que vai conduzindo pergunta se é para seguir para o hospital mas o homem diz-lhe que é melhor passarem por casa…
Passam pois por casa, seguem depois para o hospital, a inscrição nas urgências, a ida à triagem, seguir mais tarde para ser observado pelo cirurgião, pouco depois a enfermeira que lhe faz os pensos, o do ombro e do joelho, que lhe limpa também as feridas que tem na testa e no nariz…
Regressam depois a casa já na companhia de filha que nesse tempo tinha estado com as tias…
Está pois o homem que tanto gosta de correr por estes dias impedido de o fazer, por poucos dias quer o homem acreditar...

20 comentários:

JoaoLima disse...

Força amigo! Uma rápida recuperação!

Pelo menos, basta o homem querer que a coisa fica logo melhor!

Um abraço

João Paixão disse...

As melhoras, António. Força e poucos tropeções...

Carlos Lopes disse...

Olá António

O Homem, ira ter força e ultrapassar isto tudo, ganha outra motivação pra projectos futuros.... as melhoras

luis mota disse...

Olá António
Votos de rápidas melhoras companheiro.
Luís Mota

.JOSÉ LOPES disse...

Olá António
essas fitas são tramadas tb já quase caí por causa de uma.

Uma rápida recuperação ( sarar as feridas)

Quem corre sujeita-se a isso e outras coisas


com os cumps
J.Lopes

Anónimo disse...

Amigo António

votos de uma rápida recuperação. agora é aproveitar para descansar, ver umas corridas e ganhar mais vontade ainda de regressar :)
forte abraço
antónio tartaruga hibernada bento

Maria Sem Frio Nem Casa disse...

Oh pá, que chatice... mas pelo menos não foi nada de grave e vais pôr-te bom num instante!

Aqui a rapariga também acredita :)

Um beijinho António e rápida recuperação

Ms Harkins disse...

António,

que te recuperes logo!

Abç

Fernando Andrade. disse...

...E de repente, o "homem" foi traído por uma armadilha em forma de fita, que lhe lixou o treino, o joelho, a cara...e o dia.
...E o "homem" preocupou-se logo em avisar a malta da meia nocturna que, afinal, não podia vir.
...Mas a malta da meia nocturna, conta na mesma com o "homem", pois a data foi alterada para 18 de Novembro, para quando o "homem" estiver, de novo, inteiro.
As melhoras rápidas, António.
E um grande abraço.
Fernando Andrade

Alberto Gião disse...

Em maior ou menor número, com diferentes graus de gravidade, mais ou menos aparatosos, todos damos trambolhões.

Importa é que nos levantemos!

Força, António!

joaquim adelino disse...

As melhoras amigo António, continue a escrever e vá dando notícias, das boas claro.
Abraço.

Jorge Branco disse...

Rápidas melhoras campeão!

BritoRunner disse...

As melhoras António

Um Abraço

Vitor Veloso disse...

Força companheiro!!

Filipe Fidalgo disse...

Companheiro.
Desculpa o atraso nos votos de boas melhoras, espero que sejam mais rápidas do que o meu comentário era sinal que já estavas recuperado.

Um grande Abraço e força, sem ti a corrida não é a mesma coisa.

Filipe Fidalgo

António Almeida disse...

Muito obrigado a todos pelas palavras aqui deixadas.
Voltaremos decerto a nos cruzarmos por aí, será uma questão de tempo.
Abraço a todos.

Mário Lima disse...

António

Deste é tema é que já não gostei. Não pela prosa em si que está excecional mas pelo acontecido.

Infelizmente também no meu local de trabalho existem essas fitas e já tive que segurar uma pessoa que se não o fizesse lá ia parar ao chão e custa tão pouco 'abrir' a fita pois está concebida para isso.

Espero sinceramente que estejas melhor e que dentro de pouco tempo o Homem volte à estrada.

Abraços!

ana paula pinto disse...

Há muito tempo que não me detinha num mundo que costumava seguir atentamente. Nesse mundo, lia avidamente os relatos e as peripécias de alguns amigos (engraçado como nos entretemos por aqui...), entre esses amigos, estava sempre (paragem obrigatória) um corredor que tem magia nas palavras...

Nunca te perguntei pelo teu estado, nem o que aconteceu, simplesmente porque não sabia. Não tenho cumprido os meus rituais...e é assim, estupidamente, assim que perdemos a noção de algumas coisas que se passam com os nossos amigos reais e leais. Afinal, o mundo virtual também permite aproximar pessoas que a distância física separou.
Desculpa-me, António. Como estás? Esse joelho está operacional para as grandes "aventuras" que tens feito?
As meninas?...
Sei que não é o local mais apropriado para estas conversas de bastidores, mas..acreditas que nunca registei o teu nº de telemóvel? Bem...tanta coisa que devia ter registado..tantos contactos a manter...lembro-me tanto dos meus amigos das corriditas que fazia...especialmente de um punhado (bem grande) deles que me têm acompanhado...lembrar, eu lembro, mas nada faço que o demonstre...
um forte abraço (até envergonhado por ter estado em silêncio tanto tempo)
um beijinho às meninas
espero que estejas em forma!

José Xavier disse...

Olá António;

Então foste tramado nesta fita !!, estas coisas são muito desagradáveis e muito dolorosas. Mas decerto que já estás quase recuperado, quando só agora vi este teu texto.

Força e brevemente estás de volta ao homem das corridas...

Um abraço, as melhoras
dos Xavier's

António Almeida disse...

Mário, Ana Paula e José Xavier
obrigado também pelas vossas palavras.
Abraço aos 3.