Amigos das Palavras

Por decisão do autor deste blogue os textos do próprio não seguem o acordo ortográfico de 1990.



quinta-feira, 14 de setembro de 2017

41ª Meia Maratona de São João das Lampas.

Tudo começou em 1977, numa experiência de "longa distância", nunca dantes vista nas terras saloias: uma prova de atletismo, na distância de 21 km, medida no conta-quilómetros do "mini" do Zé e que, veio a saber-se 15 anos depois, afinal só tinha 20 Km!. Curiosamente, serviu de base de trabalho para o primeiro curso de medidores oficiais promovido pela FPA e, claro, aproveitou-se a oportunidade para acertar a distância.
Estamos agora em 2017 ! O calendário não nos deixa mentir. Passaram mesmo 40 anos ! 40 anos em que no mês de Setembro, S. João das Lampas foi sendo palco de uma competição modesta mas que, com paciência, foi ganhando credibilidade e carinho por parte dos atletas, dos patrocinadores e da população de S. João das Lampas.
No próximo dia 9 de Setembro, às 17 horas, irá para a estrada a 41ª Edição da Meia Maratona de S. João das Lampas, a 2ª prova mais antiga na distância do calendário nacional.
Não sabemos se iremos ter muitos atletas. Mas os que optarem por estar connosco poderão contar com a nossa vontade de sempre em fazer uma prova que, à imagem das anteriores edições, seja do agrado geral.
Porém, pela 1ª vez na sua longa história, a organização irá estar privada de um dos seus elementos-chave, o António Tomé que, poucos dias após a realização do último Trilho das Lampas nos deixou subitamente. Por sabermos bem o quanto ele foi dedicado a este projecto de que tanto se orgulhava, iremos, em sua honra, reforçar o nosso empenho para que tudo saia bem, como ele gostaria que acontecesse. Para ti, Amigo Tomé, esta 41ª Edição da MMSJL é tua.
Fonte: site da prova  

E está escrita mais uma página da que é a 2ª meia-maratona mais antiga do país, também uma das mais duras das provas de estrada que por cá se realizam…
Deste 2017 ficará para essa história mais uma bela edição da meia maratona que durante anos foi temida por muitos e apelidada de meia das rampas…
Ficará também decerto para essa história ter sido a edição em que o mestre Fernando Andrade também voltou a correr a "sua" meia, um dos obreiros desde a primeira hora desta prova, o seu director e o rosto mais visível de uma grande equipa que ano após ano construíram a história desta grande meia.
Este ano completaram a prova 440 atletas com bastantes pessoas ao longo do percurso, algo habitual nesta prova.
Estive lá completando a prova pela 11ª vez em 10 anos de participações (1997-2017). Para a equipa de voluntários um grande obrigado, para o mestre aquele abraço.



2 comentários:

nuno cabeca disse...

Muitos parabéns por mais uma, António!

Vitor Oliveira disse...

Parabéns! Quero ver se um ano destes volto a participar nesta prova, gostei bastante da minha 1ª experiência há dois anos.