Amigos das Palavras

Por decisão do autor deste blogue os textos do próprio não seguem o acordo ortográfico de 1990.



quinta-feira, 4 de fevereiro de 2010

XVIII Maratón Popular Ciudad de Badajoz (continuação).

Em cima à esquerda: eu com a Vitória depois de levantar o dorsal.
Em cima à direita: a família com o casal Mota.
Ao meio à esquerda: o atleta e o corredor.
Ao meio à direita: fase inicial da prova.
Em baixo à esquerda: por volta do quilómetro 22.
Em baixo à direita: já na recta da meta.
[clicar na imagem para ver melhor]

Parti calmamente para aquela que viria ser a minha 5ª maratona, nos metros iniciais lá estavam as minhas meninas, passei por elas e bati na mão da Vitória, pouco depois a travessia da 1ª das duas pontes sobre o Rio Guadiana que atravessámos durante a prova, completei o 1º quilómetro em confortáveis 5'15'' e decidi seguir nesse ritmo, nessa fase inicial fui sendo passado por muitos corredores, a maioria pelo ritmo a que seguiam decerto que seriam dos que iriam ficar na passagem à meia como é habitual acontecer em Badajoz, ainda assim nos quilómetros seguintes corri ainda com muita gente por perto, à medida que os quilómetros foram passando fui ficando mais só, a dada altura comecei a ver do outro lado da estrada os primeiros atletas que já voltavam do 1º ponto de viragem, contei-os e ao 12º vi o Mota, gritei-lhe um "Força Mota!", depois continuei a correr enquanto os continuava a ver passar, algumas caras conhecidas das provas de Portugal, alguns nomes grandes das corridas de longa distância, algum tempo depois cheguei também eu ao ponto de viragem, os quilómetros sucediam-se, quase sem dar por isso completei os 10 primeiros quilómetros da prova.

Por essa altura já tinha sido presenteado com alguns "ánimo, ánimo", o que viria a acontecer quase sempre que passei por locais onde estavam pessoas.
Pouco depois nova passagem sobre o rio Guadiana, o que fizemos através de outra ponte, a que se seguiram mais quilómetros, ainda planos e paralelos ao Guadiana, fase da corrida em que seguia já completamente isolado, à medida que os quilómetros se iam sucedendo dei por mim a desejar chegar à meia, ponto que se encontrava assinalado e onde muitos dos atletas iam encostado e recebendo a medalha da prova, eu completei essa 1ª meia com um tempo já acima da 1h50', sabia que a partir desse ponto se repetiria todo o percurso anteriormente corrido, nova passagem pela ponte onde desta vez, no final da mesma, tinha à minha espera como combinado a Isabel e a Vitória, que estavam na companhia da Susan e da esposa de um outro companheiro maratonista português.
À medida que me aproximava ia olhando para a Isabel que estava de máquina fotográfica em riste, gritei-lhe para me dar os geles, olhei para a Vitória que estava por perto, a Isabel não parecia com vontade de me dar os geles, reparei depois que a Susan estava um pouco mais à frente e ia-me acenando com os mesmos na mão, passei por elas, bati na mão da Vitória, recebi os geles e segui ainda a sorrir.
Nos quilómetros seguintes apanhei o atleta que nos últimos quilómetros da prova tinha vindo à minha frente e segui algum tempo junto dele.
Cheguei assim ao quilómetro 25, sentia-me bem, pensei então que só faltavam 17 quilómetros e aos poucos comecei a ganhar avanço ao meu companheiro ocasional dos últimos 2 a 3 quilómetros mas com isso fiquei de novo isolado, do outro lado da estrada continuavam a passar atletas, cheguei ao ponto de viragem, os quilómetros sucediam-se, chegou rápido a placa com o número 30, de novo a passagem pela outra ponte, eu ia continuando a passar participantes, quase nunca fui ultrapassado durante toda a 2ª meia, as excepções terão sido duas, um atleta que me passou já nos últimos quilómetros e um duo que por volta do quilómetro 33 me ultrapassou, eu ainda tentei aproveitar a boleia destes últimos mas lentamente eles foram-me ganhando algum avanço, ainda assim continuei nos quilómetros seguintes relativamente perto deles, pouco depois cheguei ao quilómetro 35, nos quilómetros seguintes continuei a um bom ritmo, nos últimos quilómetros haviam motas da organização que iam perguntando aos atletas se queriam água, aquarius

Foi também nos últimos quilómetros que ultrapassei mais frequentemente alguns participantes, preparava-me para o fazer mais uma vez quando reparo que o atleta em questão era o Nuno Santiago que também tinha ficado no mesmo hotel que nós, trocámos umas palavras, falámos de Sevilha e seguimos juntos até ao último quilómetro da prova, depois o Nuno ganhou-me algum avanço, por essa altura olhei o relógio e verifiquei que muito provavelmente ia acabar com um tempo a rondar as 3h40' (acabaria com 3h40'30''), já na recta na meta ultrapassei ainda um dos companheiros do duo que me tinham ultrapassado uns quilómetros antes, olhei em frente, vi o pórtico da chegada, ouvi os nomes dos que já iam terminando, comecei a procurar as minhas meninas, diminui ligeiramente o ritmo de corrida, por fim lá as vi, cheguei perto delas, sorriso estampado no rosto, olhei a Isabel, peguei na mão da Vitória e juntos seguimos em direcção à linha de chegada, ouvi o meu nome, António Gomes, mais uma meta cortada, recebi um beijo da Vitória.
Pouco depois colocaram-me a medalha da prova ao pescoço e uma manta pelas costas.
Estava feita a minha 5ª maratona, a 1ª além-fronteiras, a 3ª nos últimos três meses, Sevilha é a "senhora" que se segue.

Tempo: 3h40'30''
Ritmo: 5'14''/km
Lugar Geral: 168 (287 atletas)
Lugar Escalão [CAT F]: 42 (64 atletas)

Classificações da prova aqui.

6 comentários:

luis mota disse...

Olá António!
Depois de Badajoz, com excelente desempenho, Sevilha já está a uma semana.
Resta aguardar, calma e tranquilamente mais um grande dia, o dia da Maratona!
Votos de uma boa semana para vós,
Luís Mota

NK disse...

Bem!
Isto agora nunca mais pára!
Tenho que somar mais algumas rápidamente, se não ainda sou apanhado :)
Então e trilhos? há alguns?

Abraço,

José Xavier disse...

Caro António Almeida;

Deliciei-me bastante nesta descricão em 3 partes, que segui nos últimos dias.

Mais uma participacão um belo resultado e mais uma Vitória !

Continuacão de boas provas...e sucesso em Sevilha, para a 2a internacionalizacão.

Um abraco dos Xavier's

Anónimo disse...

Amigo
estás cá com uma pedalada que um dia destes te pedem para ser o representante dos marathon maniacs cá no burgo :)
parabéns mais uma vez, excelente tempo, excelente descrição, permitiu-nos fazer toda a prova contigo, e terminar em beleza.
forte abraço
antónio, ab - tartaruga

Rui Pena disse...

António...

Estás com uma excelente regularidade... e com boa capacidade de recuperação... e ainda aí vem Sevilha!!!

Abraço e continua a partilhar connosco as tuas maratonas.

Rui

MPaiva disse...

António,

Muitos parabéns pela prova e pelo excelente resultado. Para além disso gostei de saber que a prova decorreu de forma serena e sem precalços!

abraço
MPaiva