Amigos das Palavras

“…quando ia treinar passava pelas ruas a correr e ninguém podia imaginar o mundo de palavras que levava comigo. Correr é estar absolutamente sozinho. Sei desde o início: na solidão é-me impossível fugir de mim próprio. Logo após as primeiras passadas, levantam-se muros negros à minha volta. Inofensivo o mundo afasta-se. Enquanto corro, fico parado dentro de mim e espero. Fico finalmente à minha mercê. No início, tinha treze anos e corria porque encontrava o silêncio de uma paz que julgava não me pertencer. Não sabia ainda que era apenas o reflexo da minha própria paz. Depois, quando a vida se complicou, era tarde demais para conseguir parar. Correr fazia parte de mim como o meu nome…”

Palavras de José Luís Peixoto in "Cemitério de Pianos"

domingo, 30 de janeiro de 2011

Um ano depois.

Tal como há um ano foi uma excelente jornada em terra de "nuestros hermanos" este fim de semana passado em Badajoz e de onde voltei com a oitava maratona corrida e com o meu melhor tempo na distância a bem dizer igualado:
Badajoz, 30 de janeiro de 2011: 3h33'23''
Lisboa, 6 de dezembro de 2009: 3h33'24''
Em breve voltarei a falar desta maratona de Badajoz.

5 comentários:

MPaiva disse...

António,

Muitos parabéns por mais uma maratona superada e por teres alcançado a linha de leta ao lado da tua princesa.
Fico à espera dos pormenores...

abraço
MPaiva

Ricardo Hoffmann disse...

Isso que é regularidade. Parabéns António por mais uma maratona!

Fernando Andrade. disse...

Parabéns, Grande António.
Um segundinho foi o suficiente para destronar Lisboa. Excelente tempo.

Abraço.
FA

luis mota disse...

Olá António!
Um ano depois regressaste a Badajoz e regressaste para levar uma boa marca na Maratona.
É uma prova simpática e que convida a voltar.
Uma boa semana para todos vós,
Luís Mota

Joka disse...

Parabéns Antonio, bons treinos guerreiro !!!!