Amigos das Palavras

Por decisão do autor deste blogue os textos do próprio não seguem o acordo ortográfico de 1990.



quinta-feira, 29 de maio de 2008

Walk the World 2008.

Clique na imagem para ampliar.

Ver aqui mais informação.

Antes da marcha/corrida contra a fome do ano de 2006, uma bela manhã de domingo, manhã que marcou também a estreia da Vitória como participante num evento desportivo. A Vitória, então a poucos dias de completar 22 meses, na companhia da mamã participou na marcha contra a fome. Eu participei na corrida.

segunda-feira, 26 de maio de 2008

Mancha Rosa.

O cancro da mama é um problema de saúde pública, apesar de não ser dos mais letais, têm uma alta incidência e uma alta mortalidade, sobretudo na mulher (apenas 1 em cada 100 cancros se desenvolvem no homem).
Actualmente em Portugal com uma população feminina de 5 milhões, aparecem 4500 novos casos de cancro da mama por ano, ou seja 11 novos casos por dia, morrendo por dia 4 mulheres com esta doença.
Para obviar a este estado calamitoso, o auto-exame, o exame clínico e a mamografia são meios para um diagnóstico precoce.
§
§

Realizou-se ontem em Lisboa, a "3ª Corrida da Mulher - 5 km edp", prova exclusivamente destinada a mulheres, com partida em Santos e chegada junto à Torre de Belém, tendo por objectivo a angariação de fundos para a aquisição de aparelhos de rastreio contra o cancro da mama.

Entre as milhares de mulheres que participaram no evento estiveram a Isabel e a minha irmã. A Vitória desta feita ficou em casa com o papá e foi através da tv que vimos aquela impressionante mancha rosa que se estendia ao longo do rio Tejo.

domingo, 18 de maio de 2008

13ª Corrida Terry Fox.

Ontem participámos na 13ª Corrida Terry Fox, corrida/marcha de convívio de angariação de fundos para investigação em oncologia, que este ano decorreu sobre o mote "Não fique indiferente...Deixe a sua marca contra o cancro".
Fizemos uma volta a andar ao percurso (de nós os 3 a Vitória foi a única que correu), depois a mamã ainda fez mais uma volta, eu e a Vitória esperámos pela mamã junto ao palco onde estava instalado o mural onde cada um dos participantes era convidado a deixar uma mensagem, o que cada um de nós fez.

quinta-feira, 15 de maio de 2008

Não fique indiferente...PARTICIPE.


Clique na imagem para ampliar.

Ver aqui mais informação.

Dorsal para a corrida do Glorioso.


Três meses depois da minha última prova de 10 quilómetros (Atlântico em 17 de fevereiro), domingo que vem participarei na que também será a minha terceira prova de 10 quilómetros no corrente ano, a 3ª Corrida do Benfica.

quarta-feira, 14 de maio de 2008

Certificado de Corrida.

Será que alguém se recorda destes certificados de corrida?
Este foi-me passado em 14 de Maio de 1978, faz hoje precisamente 30 anos, como o tempo corre rápido...

terça-feira, 13 de maio de 2008

Números da XIX Meia-Maratona Internacional de Setúbal.





§

XIX Meia-Maratona Internacional de Setúbal.

Na manhã do passado domingo disputou-se a XIX Meia-Maratona Internacional de Setúbal, acabei por conseguir participar na mesma depois de o ter previsto fazer há já uns meses (era um das provas que eu queria fazer em 2008) mas de ter estado na dúvida se o poderia fazer desde sexta-feira passada, dia em que a Vitória ficou febril mas felizmente que não foi nada de grave e domingo já estava tudo bem com ela.
Vitória que me acompanhou a esta prova com a mamã e com os tios Ana e Manuel (a minha irmã e o meu cunhado), tendo os quatro participando na mini-maratona das famílias, prova não competitiva com 4 quilómetros de extensão.
Ambas as provas tiveram o seu início passavam alguns minutos das 10 horas, na Avenida Luísa Todi (onde também estava instalada a meta), em frente à Praça do Bocage.
Depois de uma parte inicial corrida no interior da cidade e com bastantes pessoas a assistirem seguiu-se grande parte do percurso na Estrada da Mitrena, na zona industrial da cidade, parte do percurso onde estavam poucas pessoas a assistirem mas de que eu gostei bastante, em especial quando corremos lado a lado com o Sado.
A minha prova correu muito perto do que eu esperava, sensivelmente até ao terceiro quilómetro senti-me algo "preso", com o avançar dos quilómetros fui-me "soltando" e completei a primeira légua em 23’20’’ (já no ritmo que tinha previsto), na segunda légua quase que nem senti os quilómetros a passarem e completei a dupla légua alguns segundos abaixo do que também tinha previsto, no decorrer na terceira légua tentei passar aos 13 quilómetros abaixo da hora (o que consegui à tangente) e completei as três primeiras léguas em 1h09’30’’, na quarta e última légua corri muito tempo "isolado", fui ultrapassando e sendo ultrapassado por alguns atletas mas ficando quase sempre sozinho, completei os 20 quilómetros com 1h33’50’’ (mais 30 segundos do que o previsto), já na recta da meta vi a Isabel e a Vitória, cheguei junto delas e olhei ao longe o relógio que marcava 1h38’ (os segundos esses corriam…), também eu continuei a correr para cortar a meta de mão dada com a Vitória…numa altura em que o relógio marcava 1h39’01’’ (média de 4’42’’/km), num ritmo muito perto do que tinha previsto fazer (4’40’’/km) e inferior em 8 escassos segundos ao meu melhor registo até então na distância que era de 1h39'09'' na "meia" de Dezembro de 2007 em Lisboa.
Um tempo ainda assim bastante modesto mas que para mim foi excelente.
Classifiquei-me no lugar 386 e no meu escalão, M4549, ocupei o 58º lugar (escalão em que terminaram 110 atletas).
A prova teve o total de 762 atletas classificados na meta, 48 femininos (6,30% do número total) e 714 masculinos (93,70% do número total).
Os atletas mais rápidos foram, no sector feminino a atleta Dulce Félix (SC Braga) com o tempo de 1h12’03’’ (19ª da classificação geral) e no sector masculino o atleta queniano Laban Korir com o tempo de 1h06’32’’.

Gostei bastante de ter participado na XIX Meia-Maratona de Setúbal, uma prova com um percurso muito fácil, percurso que esteve vedado e condicionado ao trânsito e no qual existiu marcação dos quilómetros e 3 abastecimentos ao longo do mesmo.
Durante o decorrer da prova o tempo esteve bastante agradável para correr, embora estivesse algum vento que por vezes foi mesmo forte e tenha caido uma chuva miudinha que a mim me apanhou já nos últimos quilómetros da prova mas que até deu para refrescar.
Termino referindo que na minha opinião a prova teve também pontos negativos, dos quais destaco os seguintes três:
1-Os dorsais para esta prova, segundo o site oficial da mesma, seriam também entregues na tarde de sábado além de o serem no próprio dia da prova, afinal os mesmos foram entregues apenas no domingo.
2-A não separação da partida das 2 provas ("meia" e "mini"), partiu tudo misturado e ao mesmo tempo, partida que foi bastante confusa e com algum atraso resultante disso mesmo.
3-Um saco de prémios de participação ("singlet" de corrida, boné e pouco mais) pouco condizente com o preço de inscrição na prova (7,5€), também atribulada e demorada a entrega aos atletas dos sacos com esses prémio, em grande parte devido ao facto de ser uma incógnita o tamanho da "singlet" que vinha em cada um dos sacos, o que poderia ter sido facilmente evitado se previamente tivesse existido separação dos referidos sacos pelos tamanhos da referida "singlet".
Aspectos menos bom mas facilmente corrigidos que não retiram brilho a uma prova que no seu conjunto foi bastante boa.
§
A Vitória, a mamã e a tia Ana antes da partida da "mini".

As três já no decorrer da "mini".

Eu com a Vitória na recta da meta.

sexta-feira, 9 de maio de 2008

Espero lá estar.

Domingo que vem disputa-se a XIX Meia-Maratona Internacional de Setúbal, prova organizada pelo Centro Cultural e Desportivo dos Trabalhadores da Câmara Municipal de Setúbal e com os apoios técnicos da Castro Brothers e da Xistarca (Chiptiming).
A prova com partida marcada para as 10 horas, tem local de partida e chegada na Avenida Luísa Todi e estão inscritos 722 atletas.
Como tem acontecido nos últimos anos disputa-se também uma prova não competitiva (Mini-Maratona das Famílias) com uma distância de 4.000 metros.
§
Estou inscrito na prova da meia-maratona e espero estar na linha de partida na manhã do próximo domingo, embora de momento se levantem algumas dúvidas se o poderei fazer, a Vitória hoje veio para casa com febre e teremos que aguardar para ver o que isto vai dar, não deve ser nada de grave mas...
§
Um bom fim-de-semana e uma boa prova para todos os que estarão em Setúbal na manhã do próximo domingo.

quinta-feira, 8 de maio de 2008

Uma manhã muito bem passada.

Ontem foi um dia diferente para os meninos do infantário da Vitória, foram à Aula Magna da Reitoria da Universidade de Lisboa assistir a um espectáculo integrado no ciclo de Concertos Crescer com a Música (ano lectivo 2007/2008), “O Achamento do Brasil” do maestro Jorge Salgueiro (que dirigiu a Orquestra Didáctica da Foco Musical).
Estes concertos interactivos destinados à população escolar em contexto de grupo realizam-se em horário lectivo, aquele a que assistimos teve início às 9h30.
§
Os meninos da sala onde a Vitória está incluída na que foi a sua segunda saída em grupo (a primeira foi no passado dia 1 de Fevereiro por altura do desfile de Carnaval) tiveram um comportamento que deixou a educadora responsável bastante orgulhosa deles.
Como pai também fiquei muito satisfeito com o comportamento do grupo durante a manhã de ontem, a Vitória em particular esteve também muito bem.
Também os restantes companheiros de infantário, pelo que observei, comportaram-se bastante bem.

De volta ao infantário, claro que a Vitória quis que eu ficasse com ela durante o almoço e que depois a fosse deitar.
Foi um privilégio ter podido acompanhar a Vitória e os seus pequenos companheiros (mas que estiveram em grande) na manhã de ontem, uma manhã muito bem passada.

Os bilhetes do espectáculo (o meu e o da Vitória).

Site da Foco Musical: http://www.focomusical.pt

Exposição de Pintura "Revisitações".

É hoje inaugurada na Galeria do Palácio Ribamar, em Algés, mais uma exposição do nosso "companheiro da estrada" José Man, exposição que ficará patente ao público até ao próximo dia 1 de Junho (ver mais aqui).

domingo, 4 de maio de 2008

Para sempre.

Por que Deus permite
que as mães vão se embora?
Mãe não tem limite,
é tempo sem hora,
luz que não se apaga
quando sopra o vento
e chuva desaba,
veludo escondido
na pele enrugada,
água pura, ar puro,
puro pensamento.

Morrer acontece
com o que é breve e passa
sem deixar vestígio.
Mãe, na sua graça,
é eternidade.
Por que Deus se lembra
- mistério profundo -
de tirá-la um dia?
Fosse eu Rei do Mundo,
baixava uma lei:
Mãe não morre nunca,
mãe ficará sempre
junto de seu filho
e ele, velho embora,
será pequenino
feito grão de milho.

Carlos Drummond de Andrade (Itabira, 1902 - Rio de Janeiro, 1987)

Nota ) No Dia da Mãe as palavras de Carlos Drummond de Andrade...

sexta-feira, 2 de maio de 2008

27ª Corrida Internacional 1º de Maio.

A minha chegada de mão dada com a Vitória (Fotos de AMMA).

Ontem participei pelo 2º ano consecutivo na Corrida internacional do 1º de Maio, prova que teve a sua 27ª edição e que como habitualmente foi organizada pela União dos Sindicatos de Lisboa/CGTP-IN e que este ano contou com o apoio técnico da Anipro e da Xistarca.
A Vitória que me acompanhou a esta prova com a mamã, ainda antes de sairmos de casa queria saber se podia cortar a meta comigo...
Como habitualmente em dia feriado e à hora a que saímos de casa o trânsito era reduzido e foi relativamente rápido o percurso de nossa casa até Alvalade.
A prova teve os tradicionais 15 quilómetros de distância e o seu início às 10 horas em frente ao estádio 1º de Maio e chegada na pista de atletismo do mesmo.
Após a partida passei pela Isabel e a Vitória e bati na mão da Vitória, o tempo estava muito agradável para correr, um percurso do qual eu gosto bastante (a recente corrida do metro do passado mês utilizou grande parte deste excelente percurso mas em sentido contrário), percurso que esteve vedado e condicionado ao trânsito (estiveram muito bem as forças da autoridade presentes) e no qual existiu marcação dos quilómetros e 2 abastecimentos, teve também ao longo do mesmo muitas pessoas a assistir e em número muito superior ao habitual nas corridas disputadas na capital, muito em parte devido à grande presença de turistas, os quais em vários pontos do percurso aplaudiram fortemente a passagem dos corredores.
Durante o percurso passámos pelos 2 locais onde se concentraram durante o dia de ontem as 2 centrais sindicais que existem em Portugal, no Rossio a UGT e na Alameda a CGTP-IN.
Nesses locais existia também bastante animação e na Alameda fomos mesmo bastante incentivados pelas pessoas presentes no local.
Já na parte final comecei a ultrapassar muitos dos caminheiros participantes na Minicorrida, a qual teve início precisamente na Alameda e terminou também na pista do estádio 1º de Maio, prova não competitiva e complementar da corrida dos 15 quilómetros, a qual me pareceu fortemente participada.
Já na pista de atletismo do estádio 1º de Maio vi a Isabel e a Vitória na recta na meta, coloquei-me numa das pistas mais exteriores e fiz um sprint até até junto delas, a Vitória assim que me viu correu na minha direcção, peguei na sua mão e juntos fizemos ainda grande parte da recta até cortarmos a meta, o relógio marcava 1h09’12’’ (ritmo de 4’37’’/km), o que está perfeitamente dentro da normalidade para mim, também com os meus habituais 3 treinos semanais não poderei almejar muito mais.
Após devolver o chip (penso que este ano foi uma inovação, pelo menos não me recordo de ter usado chip no ano passado), recebi à saída do funil de chegada a tradicional t-shirt e uma medalha alusiva à prova.
Classifiquei-me no lugar 302 e no meu escalão, M4549, ocupei o 38º lugar (escalão em que terminaram 110 atletas).
A prova teve o total de 956 atletas classificados na meta, 74 femininos (7,74% do número total) e 882 masculinos (92,26% do número total).
Os atletas mais rápidos foram, no sector feminino a atleta Marisa Barros (Açoreana Seguros) que com o tempo de 52’05’’ foi uma folgada vencedora, e, no sector masculino os atletas Hélder Ornelas (Maratona CP) e Bruno Fraga (GDR Reboleira), atletas que disputaram até ao fim o lugar mais alto do pódio, acabando por vencer Hélder Ornelas em 46’34’’ com um escasso segundo de vantagem sobre Bruno Fraga.
Saímos do estádio numa altura em que a instalação sonora montada junto à entrada do mesmo ia transmitindo músicas do Vitorino.